icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
21/08/2015
21:25

Autor do gol do Paysandu na derrota, por 2 a 1, para o Fluminense, pela Copa do Brasil, o lateral-direito Yago Picachu vem se destacando com a camisa bicolor. Sondado por alguns clubes brasileiros, o atleta comentou, em entrevista ao programa "Expediente Futebol", do Fox Sports, sobre uma possível mudança de ares. Pikachu ressaltou que está preparado para sair. 

- O clube tem essa exigência e os interessados não quiseram dar o que o Paysandu pediu. Agora, tenho ainda quatro meses para fazer o melhor para o clube até acabar o meu contrato. Já tenho quatro anos de profissional e estou preparado para sair. Então, torço para que haja a liberação. Houve o interesse (do Bahia), mas o presidente não aceitou a proposta. O Palmeiras, em 2012, no ano que eu apareci, surgiu como possibilidade. Mas não houve proposta - afirmou.

Na sétima colocação da Série B, o Papão busca retomar a boa sequência que levou a equipe ao G4 da Segundona. Pikachu ressaltou que o equilibro do torneio contribui para essa oscilação.

- Ficamos oito jogos sem perder e depois quatro sem ganhar. São campeonato muito equilibrados. Quando acontece isso, tem que avaliar para ver o que está errado - disse o lateral, que explicou a origem do seu apelido.

- Quando comecei no futsal, o treinador tinha o hábito de colocar apelidos. Então, como era baixinho e rápido, ele me chamou de Pikachu, por causa do desenho animado - encerrou.

Paysandu e Fluminense voltam a se enfrentar pela Copa do Brasil, na próxima quarta, às 19h30, no Mangueirão, pela volta das oitavas de final. 


Autor do gol do Paysandu na derrota, por 2 a 1, para o Fluminense, pela Copa do Brasil, o lateral-direito Yago Picachu vem se destacando com a camisa bicolor. Sondado por alguns clubes brasileiros, o atleta comentou, em entrevista ao programa "Expediente Futebol", do Fox Sports, sobre uma possível mudança de ares. Pikachu ressaltou que está preparado para sair. 

- O clube tem essa exigência e os interessados não quiseram dar o que o Paysandu pediu. Agora, tenho ainda quatro meses para fazer o melhor para o clube até acabar o meu contrato. Já tenho quatro anos de profissional e estou preparado para sair. Então, torço para que haja a liberação. Houve o interesse (do Bahia), mas o presidente não aceitou a proposta. O Palmeiras, em 2012, no ano que eu apareci, surgiu como possibilidade. Mas não houve proposta - afirmou.

Na sétima colocação da Série B, o Papão busca retomar a boa sequência que levou a equipe ao G4 da Segundona. Pikachu ressaltou que o equilibro do torneio contribui para essa oscilação.

- Ficamos oito jogos sem perder e depois quatro sem ganhar. São campeonato muito equilibrados. Quando acontece isso, tem que avaliar para ver o que está errado - disse o lateral, que explicou a origem do seu apelido.

- Quando comecei no futsal, o treinador tinha o hábito de colocar apelidos. Então, como era baixinho e rápido, ele me chamou de Pikachu, por causa do desenho animado - encerrou.

Paysandu e Fluminense voltam a se enfrentar pela Copa do Brasil, na próxima quarta, às 19h30, no Mangueirão, pela volta das oitavas de final.