icons.title signature.placeholder LANCE!Bizz
16/12/2013
14:43

Os 12 clubes brasileiros de maior faturamento no ano passado chegaram ao final da atual temporada tendo que desembolsar R$ 4,5 milhões por mês a seus técnicos. O montante equivale a um recuo de 14% em relação aos R$ 5,2 milhões que as agremiações desembolsaram ao final de 2012 para manter os "professores" no comando de suas respectivas equipes. Em agosto do ano passado, por exemplo, esse valor atingiu a estratosférica marca de R$ 5,4 milhões. As informações constam do estudo realizado pela Pluri Consultoria. A empresa, ressalta, que os valores não são oficiais, tendo sido extraídos das reportagens publicadas pela imprensa.

Há um ano, o maior salário no país era de Abel Braga, então treinador do Fluminense. O Tricolor das Laranjeiras lhe pagava juntamente com a Unimed um salário mensal de R$ 700 mil. Logo em seguida figurava Vanderlei Luxemburgo, no comando do Grêmio à epoca, Muricy Ramalho, hoje no São Paulo, mas que estava à frente do Santos e, por fim, de Tite, recentemente demitido do Corinthians), com R$ 600 mil cada um.

Entre os treinadores de menor salário no país estavam Adílson Batista (Vasco) com R$ 110 mil/mês, e Jayme de Andrade, campeão da Copa do Brasil deste ano pelo Flamengo, com R$ 75 mil/mês, mas que teve seu salário dobrado após a conquista para R$ 150 mil. Os dois, talvez, de acordo ainda com a Pluri Consultoria, têm a melhor relação custo x benefício entre os treinadores brasileiros.

O campeão Cruzeiro foi o clube que apresentou a maior relação entre o salário do técnico x faturamento anual. A Raposa consumiu o equivalente a 4,9% de sua receita para pagar o técnico Marcelo de Oliveira. Importante destacar, contudo, que o salário do técnico campeão brasileiro só foi reajustado no final da atual temporada. A elevação das receitas do Cruzeiro este ano, no entanto, deverá reduzir significativamente esta relação.

Uma dupla de clubes cariocas é a que apresenta a menor relação entre o que paga de salário a seus treinadores e com aquilo que arrecada. Flamengo (0,9%) e Vasco (1,0%) são os que menos impactam o seu faturamento com o salário dos seus técnicos. São os únicos clubes do futebol brasileiro, cuja relação de salários / faturamento é inferior a 1,3%, o índice recomendado.