icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/07/2014
17:24

Ronaldinho não é o primeiro a ter uma saída conturbada do Atlético-MG do plantel formado desde a temporada de 2012. A rescisão de contrato do camisa 10, sacramentada nesta segunda-feira, foi precedida por algumas decisões intempestivas e até farpas em redes sociais.

R10, que tinha contrato até dezembro de 2014, deu sinais de que estava de saída do Galo ao ser substituído na vitória por 4 a 3 sobre o Lanús (ARG), pela decisão da Recopa Sul-Americana no Mineirão. No domingo, em entrevista na Rádio Guaíba, o empresário e irmão do atleta, Roberto Assis, afirmou o fim do ciclo. Após a derrota por 2 a 1 para o Sport, na Ilha do Retiro, o atacante Jô também confessou que o ex-companheiro se despediu de todos.

Anúncio saída "antecipado" também marcou o fim do ciclo de dois anos e meio do técnico Cuca, campeão mineiro e da Copa Libertadores de 2013. Horas após o Atlético-MG ter uma eliminação precoce no Mundial de Clubes, para o Raja Casabalanca (MAR), o mandatário do Galo anunciou que ele não seguiria no ano seguinte. O treinador comandava a equipe pela última vez na decisão do terceiro lugar do torneio, contra o Guangzhou Evergrande (CHN), mas a Massa já sabia o nome de seu sucessor: Paulo Autuori.

Após três meses no cargo, Autuori também teve uma saída abrupta do clube. No dia seguinte à derrota por 1 a 0 do Galo para o Atlético Nacional (COL) no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores de 2014, sua saída foi comunicada pelo diretor de futebol Eduardo Maluf. Contratado às pressas, Levir Culpi não conseguiu fazer a equipe seguir na competição, mas levou o Atlético-MG ao título da Recopa Sul-Americana.

Pouco antes do adeus de R10, outro jogador da linha de frente atleticana se despediu com farpas. Contratado para a disputa do Mundial de Clubes, Fernandinho soube via Twitter de sua saída. Dias após se recusar a fazer sua sétima partida no Brasileirão pelo Atlético-MG sem saber se o clube iria prorrogar seu empréstimo ao Al-Jazira (EAU), o presidente Alexandre Kalil disse sua decisão em uma rede social:

"Resolvi, Fernandinho. Siga a sua vida! Tchau e bença". O jogador de 28 anos atualmente defende o Grêmio.