icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/11/2014
08:06

Desespero. Essa é a palavra que vai ditar o Clássico Vovô de sábado. Enquanto uma vitória do Fluminense pode afundar de vez o Botafogo na zona de rebaixamento do Brasileirão, um triunfo do Glorioso deve piorar as chances de o Tricolor se classificar para a Libertadores. A partida é crucial aos dois clubes para um desfecho de temporada satisfatório, já que ambos foram derrotados no fim de semana. O discurso dos treinadores reflete bem o momento.

– O maior prejuízo (de ter perdido) é estar fora do G4. Muitas equipes tinham o mesmo número de pontos que nós. Ganhando, ficaríamos (no G4). Perdendo, atrasamos em uma rodada. Confiamos em nos recuperar e chegar lá – afirmou Cristovão Borges, após a derrota de sábado para o Coritiba.

Vagner Mancini também comentou sobre a fase que enfrenta e utilizou a palavra “missão” – muito repetida pelos tricolores – para se referir ao desafio que tem pela frente.

– Não tenha dúvidas de que é a missão mais difícil (da carreira). Nunca havia vivido isso, com tantas dificuldades, mas não vamos jogar a toalha. Temos que refletir, reunir forças e voltar a ser fortes contra o Fluminense, sempre sonhando em conquistar os pontos necessários para sair da zona de rebaixamento – afirmou o técnico.

Como na maior parte dos clássicos, a tendência é a de o equilíbrio pautar a partida. Os momentos distintos das duas equipes deve ser deixado de lado por 90 minutos. Se o técnico Cristovão tem um elenco considerado superior, Vagner Mancini pode se gabar de um bom desempenho contra rivais neste ano. Além disso, defenderá uma invencibilidade de seis jogos (quatro vitórias e dois empates) do Alvinegro diante do Tricolor, que já dura mais de um ano e nove meses (veja quadro ao lado).