icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
25/06/2014
20:58

O empate em 0 a 0 com o Equador, no Maracanã, não mudou a situação da França no Grupo E da Copa do Mundo do Brasil. Com sete pontos, a seleção de Didier Deschamps se classificou na primeira colocação de forma invicta. Porém, a partida contra os sul-americanos foi abaixo da média, com uma equipe um pouco apática e sonolenta em campo, mesmo quando teve um homem a mais após a expulsão de Valencia. Nada que tire a "felicidade" do técnico.

- Acho que é preciso mais do que isso para afetar minha satisfação. Passamos em primeiro no grupo, estamos nas oitavas de final. Eles tiveram uma seleção com dez homens em campo durante o jogo, mas souberam defender bem.  Não fomos tão bem nesta noite, mas certamente não vou ter uma lembrança negativa. Isso não esconde nossa felicidade - afirmou o técnico francês.

Com as eliminações de Itália, Espanha e Inglaterra, a França passa a ser, ao lado da Alemanha, uma das seleções europeias favoritas no torneio. O sonho é disputar a final no Maracanã, mas Deschamps evita falar em uma fase ainda tão "distante" e lembra que a França terá ainda pela frente a Nigéria, na próxima segunda-feira:

- Acho que não é finalidade agora pensar em chegar tão longe assim. Só a Nigéria está na minha mente agora. É isso que queremos fazer e analisar. Excelentes times foram eliminados, vamos nos preparar e pensar apenas nas oitavas de final.



Deschamps é considerado o homem que foi capaz de unir um grupo de jogadores que há quatro anos estava em xeque, com problemas de relacionamento, mas que agora chega com força nas oitavas de final de um Mundial. O treinador, porém, deixa os méritos desse sucesso para os jogadores:

- O que eu vejo desde o primeiro dia que estamos juntos é que há um espírito nesse grupo para fazer as coisas corretas. Há muita dedicação.