icons.title signature.placeholder Record, de Portugal
20/06/2014
15:51

Barão de Cocais é uma pequena cidade de Minas Gerais que vai vibrar com a seleção portuguesa durante o Mundial. Durante este mês, dona Nilza vem se sentindo mais próxima do seu neto, Bruno Alves. Porém, os 91 anos da avó do luso não lhe permitem assistir ao vivo aos jogos de Portugal. O que não quer dizer que o jogador deixará de sentir o apoio da vasta família que tem no Brasil.

Dona Nilza teve nove filhos. Cinco foram profissionais de futebol: Lincoln, Wilson, Júlio, Washington e Geraldo (meia habilidoso do Flamengo no fim dos anos 70, que faleceu precocemente aos 22 anos, devido a um choque anafilático durante uma operação das amígdalas). Todos eles seguiram os passos do pai, Osvaldo (que morreu em 2012, aos 97 anos), que foi Esporte Clube Siderúrgica e chegou a representar a seleção mineira.

O pai de Bruno Alves é Washington. Hoje, com 64 anos, se lembra de ter chegado a Portugal “pouco depois do 25 de abril de 1974” e ficar por uma década, sendo pilar da defesa do Sporting Clube de Espinho, Varzim e Rio Ave.

- A minha ideia era ficar seis meses em Portugal e depois ir para a liga dos Estados Unidos. Mas só era permitido fazer contratos válidos por um ano e fui ficando - lembra Washington, zagueiro com fama de “durão”, que chegou do Brasil após ter jogado por cinco anos no Flamengo.

Por Portugal ficou e casou com uma portuguesa, Maria Isabel. Nessa altura, Washington foi todos os anos ao Brasil e quando pensou em encerrar a carreira, voltou até com a ideia de “voltar para ficar”. Fez o curso de treinador e chegou a comandar a equipe do Ateneu de Montes Claros, de Minas Gerais. Mas, em 1980, foi convidado para jogar pelo Lusitânia de Lourosa e viajou de novo para Portugal, onde pendurou definitivamente as chuteiras em 1984, após um ciclo brilhante no Varzim.

Bruno nasceu no Porto mas, como sublinha Washington, “foi produzido na Póvoa”. Já Geraldo, outro dos filhos que alinha no Steaua de Bucareste (ROM), é brasileiro naturalizado português, enquanto Júlio Alves, o mais novo, é... mais um produto da Póvoa de Varzim.

Washington homenageou dois dos seus irmãos dando os seus nomes aos filhos, mas Bruno "escapou" do batismo do pai.

- Foi escolha da madrinha.

O apelo de Portugal foi tão forte que mais gente do clã Alves se juntou a Washington. Wilson e Aparecida despediram-se de Barão dos Cocais e já há muitos anos se instalaram também no Porto.

Os pais de Bruno estarão em breve a caminho do Brasil. O plano é viajarem para Manaus, para assistirem ao Portugal e Estados Unidos, ou na pior das hipóteses para Brasília, para verem Portugal eGana. Tudo depende do tempo que vão permanecer em Bucareste para conhecer o mais novo rebento da família - a filha de Geraldo, quarto neto de Washington e Maria Isabel.