icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena e Marcio Porto
28/04/2014
08:12

A diretoria do Palmeiras já iniciou as conversas para renovar com o volante Wesley - embora ele tenha contrato até fevereiro de 2015 -, mas terá de ser ágil para não reviver um pesadelo. Muito próximo de anunciar o atacante Alan Kardec, o São Paulo observa a situação do camisa 11 alviverde e planeja uma ofensiva para agosto, quando ele poderá assinar um pré-contrato com qualquer clube para sair sem custos quando o vínculo atual chegar ao fim.

Muricy Ramalho é fã de Wesley e a diretoria são-paulina sabe disso, tanto que chegou a sondar as condições para contratá-lo há pouco tempo, mas recuou depois de saber os valores que precisaria desembolsar para tirá-lo do rival agora. A ideia, então, é agir sem pressa para ter o reforço no ano que vem.

O Verdão trabalha com duas opções: vender o volante na janela europeia que abre em 14 de julho para aliviar o caixa ou ampliar o vínculo por um longo período, o que significaria manter uma peça importante no esquema de Kleina e ter a chance de lucrar ainda mais no futuro - é difícil que um clube se disponha a pagar grandes valores por um jogador com o contrato próximo do fim.

Wesley quer renovar, mas o clube pretende reduzir seu salário e estabelecer ganhos por produtividade. As partes se reuniram mais de uma vez e a diretoria sabe que uma alternativa é firmar vínculo longo, de quatro ou cinco anos, dando segurança ao atleta. A questão, porém, não é tratada como urgente.

- Meu contrato na Alemanha era de produtividade. Só depende como é. Não tive oportunidade de participar das reuniões, mas creio que, em breve, se for a vontade do Palmeiras, vou participar para entender melhor - disse o jogador, no sábado.