icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
10/06/2014
19:30

Ewandro não esconde o orgulho por ter sido artilheiro – com três gols – e campeão da Panda Cup pela Seleção Brasileira sub-20, mas prefere a discrição aos holofotes. Principalmente dos familiares em Pernambuco.

– Meu pai queria me esperar no aeroporto lá no Recife. Queria levar faixa, parente para me receber. Eu não gosto disso, não. Vou dar um jeito de escapar deles – assegurou ao LANCE!Net, antes de embarcar para o Recife.

O atacante de 18 anos de idade, que passou a infância e a pré-adolescência no futsal pernambucano, chegou ao futebol de campo já mais velho para atuar na base do Náutico e logo chamou a atenção do Tricolor. Desde que chegou à capital paulista, o garoto teve poucas oportunidades de ficar com os familiares.

– Meu pai veio algumas vezes, mas quase não vi minha mãe mais. Por isso estou indo para o Recife ficar dois dias pelo menos – afirmou.

Apesar da timidez, Ewandro não desgrudou nenhum instante do troféu de artilheiro recebido na Panda Cup. O prêmio esteve o tempo todo guardado em uma caixa e provocou até dores nas costas do garoto.

– Como é pesado. Fiquei feliz, lógico, mas foi difícil carregar – admitiu.

O curto período na capital pernambucana se deve à viagem que será feita pelo São Paulo no próximo sábado. A delegação embarca para Orlando, nos Estados Unidos, para realizar série de treinos e um amistoso contra o Orlando City Soccer.