icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/07/2014
10:53

Em sua última entrevista como treinador do Bahia, após a derrota para o Internacional, Marquinhos Santos admitiu que gostaria de continuar seu trabalho no Tricolor de Aço, e revelou que a demissão estava acertada desde quarta-feira, após a derrota para o Corinthians.

- Todo treinador passa por esse momento. A gente sabe das dificuldades. Gostaria de continuar até o fim do ano, confio na equipe, na diretoria. Não tenho dúvida de que o Bahia sairá dessa situação e alcançará um pelotão intermediário. Conversamos logo após a partida contra o Corinthians. Mas sou profissional, para não deixar o Bahia na mão fiz esse jogo. Mediante a situação do Bahia, sabia que seria inevitável a demissão. Encerra-se uma passagem, vida que segue.

Saindo do clube com o Campeonato Baiano conquistado, Marquinhos Santos lamentou não ter conseguido dar sequência à boa fase do Estadual, e fez uma breve análise do time no Brasileiro.

- Trabalhamos intensamente para encaixar uma equipe. Como não teve oportunidade de trazer um camisa 9 antes, encaixamos uma outra maneira de jogar. Só que futebol tem situações inexplicáveis. O Lincoln se machucou e o Talisca foi vendido. Isso comprometeu a estrutura de jogo. Tivemos que remontar a equipe.

Questionado sobre o responsável pelo momento do Bahia, o ex-treinador evitou escolher um culpado e dividiu a responsabilidade com a diretoria.

- Não tem culpado único. Todos têm parcela de culpa. Foi uma diretoria leal, transparente. Conversamos depois do jogo do Corinthians, fui ético e optei não deixar o Bahia na mão.

O substituto de Marquinhos Santos ainda não foi anunciado, mas a diretoria tricolor afirma ter sondado alguns treinadores, como Gilson Kleina e Enderson Moreira