icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
08/07/2014
13:40

O delegado da Polícia Civil do Rio, Fábio Barucke, responsável pela investigação que tem desarticulado uma quadrilha de venda ilegal de ingressos dos jogos da Copa do Mundo, vai pedir novamente a prisão de Ray Whelan, diretor da Match, empresa responsável pelos pacotes do Mundial.

O executivo chegou a ser detido na tarde de segunda-feira, no hotel Copacabana Palace, no Rio, foi levado à 18ª DP, mas ganhou liberdade na madrugada desta terça-feira. Whelan, que pagou fiança de R$ 5 mil, foi convocado a prestar depoimento na manhã desta terça, mas não compareceu.

O delegado Fábio Barucke explica que não é por essa ausência que a prisão será pedida à Justiça novamente.

- Vou relatar o inquérito policial com pedido de prisão de todos os envolvidos. A prisão não está fundamentada pela falta dele no depoimento, apesar de ter faltado. O inquérito vai ser enviado à Justiça, que decidirá - afirmou ele, em contato rápido com o LANCE!Net, na expectativa que concluir o serviço ainda nesta terça.

Como informaram a Match e a Fifa, Whelan poderá exercer normalmente as atividades na empresa, mesmo após a prisão no Rio.