icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
20/03/2014
16:08

O delegado Percival Alcantara, do 23º DP, onde foi registrado o Boletim de Ocorrência da confusão envolvendo palmeirenses durante a venda de ingressos para o clássico contra o Santos, diz que nenhum dos envolvidos foi identificado até o momento. Além disso, afirma que não recebeu informação sobre a agressão a um funcionário e o roubo de ingressos e dinheiro, fatos relatados ao LANCE!Net por pessoas que estavam no local.

- Quem me passou passou as informações foi a moça do Futebol Card, que compareceu aqui com a Polícia Militar. Estavam vendendo ingressos apenas para os sócios-torcedores, e alguns foram tentar adquirir ingressos com carteirinhas de outras pessoas. Então, tinha torcedor com dez carteirinhas, com cinco carteirinhas... Na hora que ela pegava uma carteirinha, pesquisava e dizia: "Olha, esse sócio já comprou ingresso". Aí começou a ficar um clima tenso. Nessa confusão, 20 pessoas invadiram o local e quebraram tudo. Até o momento ninguém foi identificado - disse Percival.

Ele afirma ter perguntado à funcionária sobre o envolvimento dos vândalos com torcidas organizadas, mas ela não soube informar precisamente.

- Nós, no primeiro momento, registramos o caso como dano, porque a notícia que temos é de dano a um computador, uma vidraça... A vítima tem de vir na delegacia e dizer que quer que as investigações prossigam. Não tenho a notícia de furto, foi perguntado a policiais, à funcionária... A princípio parece que foi uma confusão - declarou.

O delegado diz que vai investigar a informação de que um funcionário recebeu um soco na cara ao tentar impedir a invasão. Segundo ele, a notícia passada foi de que houve apenas a tentativa de atingi-lo, sem sucesso. O agredido está muito assustado e não tem o desejo de prestar queixa. Agora, o Palmeiras tem que solicitar que o caso continue sendo investigado.

- Se forem crimes que demandam a representação da vítima, a vítima tem que representar. Uma vez representado, nós tomamos a frente do caso e vamos investigar. Falta a representação em relação ao dano. Vou entrar em contato com o Palmeiras para ver se houve outro tipo de crime.