icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
20/06/2014
15:41

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, quebrou o protocolo nesta sexta-feira, no CT do Caju, em Curitiba, e deu uma entrevista coletiva que não estava prevista. Questionado sobre o fracasso da Fúria na Copa do Mundo - eliminada na fase de grupos -, o comandante tentou despistar sobre seu futuro. Tem contrato até 2016, mas não descarta deixar o cargo e deixa claro que sua decisão será o melhor para a Real Federação Espanhola e para o futebol da Espanha. Futuro? Ainda resta o jogo contra a Austrália, na segunda-feira, em Curitiba. Esse é o próximo passo do treinador, pode ser também o último.

Del Bosque rechaçou também problemas de relacionamento no ambiente da Fúria. Deixou claro que divergências acontecem, como em qualquer família, mas bancou que esse foi o melhor período de concentração que teve com a seleção espanhola.

- No momento não é hora de falar no futuro, estamos em uma competição. O melhor para a Federação será o melhor para mim. Me sinto um defensor da Federação e do futebol espanhol. Não houve nenhum problema de ambiente. Falei com Xabi Alonso e ele me disse que não aconteceu nada. Perdemos porque fomos inferiores aos nossos rivais. Não há problema de convivência - afirmou.

Duas derrotas importantes tiraram a Espanha da Copa do Mundo (5 a 1 para a Holanda e 2 a 0 para o Chile). Com semblante abatido, Del Bosque afirmou que ficou surpreso com a atuação de seus comandados. Não esperava, de forma alguma, a eliminação da forma como aconteceu:

- Fiquei um pouco surpreso, vivi intensamente a concentração dos jogadores, a vontade que eles tinham. Não esperava. Mas a realidade é essa, tenho responsabilidade e quero fazer o melhor para a seleção. Desde o primeiro até o último minuto, rendemos menos do que poderíamos.

Nos treinos realizados após em Curitiba após a eliminação da Fúria, Del Bosque apareceu bem calado. Mais observador. Poucos jogadores conversaram com o treinador. Porém, ele deixou claro que não há distanciamento do elenco:

- Não há distanciamento. Buscamos ter uma boa relação com todos. Fomos carinhosos e contundentes quando foi preciso.