icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
22/02/2015
16:47


Marcelo Suartz e Roberta Rodrigues, ambos de São Paulo, foram os grandes vencedores da seletiva da Seleção Brasileira de boliche que se encerrou neste domingo, no Rio de Janeiro. Eles e os vice-campeões do evento, Charles Robini (MG) e Stephanie Martins (SP), representarão o país nos Jogos Pan-Americanos de 2015, que serão disputados em Toronto, no Canadá, no mês de julho.

Os nomes dos jogadores brasileiros no Pan foram conhecidos após exaustivas 40 partidas - disputadas no Boliche Social Club do BarraShopping, Zona Oeste do Rio - desde a última quinta-feira. No masculino, Marcelo Stuart entrou com muita vantagem na ponta e ratificou a sua posição como titular. Porém, para o segundo posto, houve intensa disputa até os últimos momentos da partida final entre Charles e William Hideki, de São Paulo. Charles teve de fazer dois strikes no décimo frame para garantir sua ida ao Pan do Canadá.

E MAIS:
> Confira como foi a participação do judô brazuca no GP de Dusseldorf
> COI inicia revisão do Rio para os Jogos Olímpicos de 2016

No feminino, Roberta Rodrigues, tal como Marcelo entre os homens, já chegou com folga ao duelo decisivo. Stephanie, em segundo lugar, tinha uma margem bem confortável para Roseli Santos (SP), e só precisou administrar a vaga para confirmar sua segunda ida aos Jogos.

– Foi uma verdadeira maratona, de nível técnico elevado. Eu esperava um desempenho individual melhor, mas a seleção foi mais do que justa – disse Marcelo, bronze em Guadalajara-2011 e que jogará ao lado de um amigo de infância no Pan. Ele já projeta os tópicos que terá de trabalhar conjuntamente com Charles.

– Temos de trabalhar a parte técnica dentro da pista, mas não é só isso. É fundamental investir em técnicas de controle da ansiedade e pressão. Não poderemos ter medo de errar – destacou.


Charles, por sua vez, era só alegria.

– Me sinto muito realizado. Não era fácil, havia outros postulantes fortes à vaga, mas consegui colocar tudo o que treinei em prática e isso mostra que o treino é sempre o melhor investimento. Agora é seguir nessa toada, pois sempre há o que evoluir no jogo físico e no preparo emocional – explicou.

Roberta, que perdeu a vaga no Pan de 2011 no último dia da seletiva daquele ano, estava muito emocionada.

– Estava muito mais focada agora e, ao mesmo tempo, mais confiante e mais nervosa. Hoje, na penúltima partida, quando a margem que eu tinha já era grande o suficiente, eu pensava e falava sozinha “eu consegui!”. Queria muito essa vaga – disse Roberta, que terá a companhia de uma jogadora mais nova que ela, mas que já conhece o Pan de perto.

– O foco daqui em diante é o treino. Trabalhar os spares, a concentração e a explosão. Sou mais tímida por natureza e esse último tópico é especialmente importante para as horas decisivas – explica Stephanie, quadrifinalista em Guadalajara-2011.

Os seis melhores colocados de cada naipe garantiram lugar em outras competições importantes. Além de Marcelo, Charles e William, Bruno Costa (MG), John O’Donnell (RJ) e Marcio Vieira (RJ) garantiram lugar no Interamericano, o Pan da modalidade, que acontecem em setembro, em San Juan, Porto Rico.

No caso das mulheres, Roberta e Stephanie ganham a companhia de Roseli Santos, Luiza Rocha, Marlene Bonacina e Sarah Guterman para a disputa do Mundial por Equipes, em dezembro, na cidade de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

O próximo torneio nacional oficial é a Taça Belo Horizonte de Duplas, na capital mineira, entre os dias 6 e 8 de março.