icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
21/03/2014
13:26

Na conquista da edição passada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro se caracterizou por ser uma equipe que faz muitos gols e sofre poucos. Na Copa Libertadores, entretanto, a defesa tem falhado e a média de bolas na meta defendida pelo goleiro Fábio aumentou consideravelmente.

Durante o Brasileirão 2013, a equipe sofreu 37 gols em 38 partidas, o que lhe rende um retrospecto de 0,97 tento por jogo. Na principal competição internacional, a Raposa teve a sua rede balançada sete vezes em quatro embates, tendo uma média de 1,75 gol por duelo.

Marcelo Oliveira crê que o mau momento defensivo é crucial para a campanha ruim na Libertadores – a equipe ocupa a terceira colocação do grupo 5 e fez apenas quatro pontos em 12 possíveis.

– Era pouco comum no Cruzeiro a gente não sofrer muitos gols. Sempre fazíamos muitos e levamos poucos. Isso tem feito a diferença na Libertadores. Fizemos oito gols e tomamos quase o mesmo número. Essa matemática não está boa. Precisamos corrigir e melhorar – declarou o treinador, que promete a manutenção do esquema ofensivo:

– Continuaremos como um time ofensivo, em que os laterais passam. Precisamos ter sabedoria necessária para não levarmos gols. O time estava firme e consciente do que precisava.