icons.title signature.placeholder Marcio Porto
09/04/2014
13:02

A diretoria do São Paulo está magoada com o volante Fabrício. Dirigentes não gostaram das declarações dele após o anúncio de seu afastamento e a análise é de que houve ingratidão. Entre outras coisas, o jogador afirmou que não esperava mais nada do clube e que acabou pagando a conta pelos fracassos nesta temporada.

Com o impasse, assim como fez em outra ocasião, a cúpula vai apresentar opções de clube para ele ser emprestado, mas sabe que dificilmente ele vai aceitar.

– Temos que ver que, em mais de dois anos, ele disputou 30 partidas. A gente apresentou equipes para ele sair, mas ele recusou – disse ontem o vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes.

Fabrício e o lateral-esquerdo Clemente foram afastados na última segunda-feira. Eles continuarão com salários pagos pelo clube, mesmo treinando em Cotia. Ambos recebem cerca de R$ 200 mil mensais e o volante já disse que o financeiro é sua prioridade. Seu contrato vai até o fim do ano. O de Clemente, até julho de 2015.

O técnico Muricy Ramalho não se alongou ao comentar o assunto. Limitou-se a dizer que foi uma decisão tomada em conjunto com a diretoria.