icons.title signature.placeholder Léo Burlá
01/04/2014
09:03

Conhecido popularmente como o Clássico dos Milhões, os duelos entre Flamengo e Vasco, válidos pelas finais do Campeonato Carioca, terão de justificar a fama para dar uma injeção de ânimo em uma edição marcada pelo fracasso de público. Após 124 jogos disputados, a média de público pagante nos estádios foi de 2.419 mil torcedores. Ao todo, 299.956 mil pessoas pagaram ingresso para assistir às partidas do Estadual da cidade da final da Copa do Mundo.

O número supera um pouco a média de 2.396 mil torcedores da edição de 2013, campeonato marcado pelo fechamento do Engenhão e por clássicos disputados em Volta Redonda. Este ano, nem mesmo a volta do Maracanã, tida pela alta cúpula da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) como um atrativo capaz de aumentar os números do Carioca, foi capaz de recolocar os torcedores dentro dos estádios.

E MAIS
- Henrique diz que time do Botafogo está com 'cara de Libertadores'
- Vasco vai com reservas para Manaus e terá banco recheado de juniores
- Flamengo encontra em Guayaquil uma filial do Rio de Janeiro no Equador
- Com Fluminense em crise, Peter Siemsen e Celso Barros têm briga séria

L!TV:
- Henrique vê Botafogo com cara de Libertadores
- Flamengo chega ao Equador e é recebido pela torcida 
- Espião na área! Flamenguista acompanha treino do Vasco

Dois clubes de maior torcida do Rio, Flamengo e Vasco não refletem sua grandeza no Carioca-2014. Na primeira fase, os rivais jogaram para apenas 13.245 mil pagantes. Na média total do Cariocão, o Cruz-Maltino leva ligeira vantagem sobre o rival: 5.885 mil contra 5.699 mil.

A Ferj defende seu produto e ataca os protagonistas. Nos bastidores, Rubens Lopes, presidente da Ferj, não engole os times mistos escalados e os preços praticados nas bilheterias, em especial em jogos do Flamengo.

Do outro lado, os quatro grandes veem na fórmula arrastada do torneio - aprovada pelos próprios - como o centro do desinteresse pelo torneio regional. O resultado desta equação são estádios vazios e cada vez mais pacotes de pay-per-view adquiridos.

- Se há interesse em manter o Carioca vivo, é preciso reformular o modelo, pois o atual não consegue chamar o público. Os  jogos não possuem a relevância necessária para levar o torcedor aos jogos - opinou Pedro Trengrouse, membro da Academia LANCE! e especialista em gestão.


Final entre Flamengo e Vasco é a esperança de bom público (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)

Procuradas, a Ferj e a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão da competição, não se manifestaram sobre a questão.

Carioca-2016 com apenas 12 clubes

No que depender da proposta apresentada pelo presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes, em encontro realizado na sede da entidade, o Campeonato Carioca de 2016 será disputado por 12 clubes. De acordo com a sugestão, à qual o LANCE!Net teve acesso, os oito melhores do Estadual do ano anterior já estariam automaticamente classificados para a fase principal.

Os outros quatro clubes que passariam à fase principal seriam conhecidos a partir da disputa de uma fase preliminar, cujos integrantes seriam os clubes que terminarem o Carioca do ano anterior entre a 9ª e a 14ª posição, acrescidos dos quatro que subirem da Série B.

Por conta do Estatuto do Torcedor, o novo formato só pode vigorar a partir de 2016, quando o atual regulamento atingiria os dois anos de manutenção exigidos por lei.

Academia LANCE!
João Paulo Medina, fundador da Universidade do Futebol

'O futebol brasileiro está em crise'

'O futebol brasileiro está em crise e os representantes não atentam para isso. O formato dos estaduais está perdendo apelo ano após a ano, e isso não é exclusividade do Rio. Um país que se diz o país do futebol não pode ter menos de 10 mil pessoas em uma partida. É preocupante termos menos público que o futebol da Austrália ou dos Estados Unidos. A medida pontual para recuperar parte do público é a baixa de preços. O público está se afastando dos estádios por diversos fatores além do custo do ingresso. Falta conforto, segurança, qualidade do jogo, os clubes estão em situações horrorosas, vivendo escândalos e não passam credibilidade ao torcedor, que passa a perder o interesse e buscar outras formas de lazer. Os campeonatos estaduais devem ser reduzidos. Não adianta pensar em soluções para o problema regional sem antes resolver o âmbito nacional. Defendo estaduais em formato parecido ao da Copa , com 7 ou 8 datas, regionalizado e com cidades­-sedes.'

MEMÓRIA

PÚBLICO
Ao todo, 299.956 mil pagantes foram aos estádios. A média do Carioca-14 é de 2.419 mil por jogo.

RANKING
Entre os grandes, o Fluminense é o detentor da melhor média de público, com 7.277 mil. Com 5.885 mil, o Vasco é o vice-líder de público. O Flamengo tem 5.699 mil, enquanto o Botafogo registrou 3.217 mil.

PONTO ALTO
O segundo jogo da semi entre Fluminense e Vasco registrou o melhor público pagante do Carioca: 15.925 mil torcedores.

PONTO BAIXO
O menor público entre os grandes ficou com o Botafogo. Pela última rodada,  só 308 alvinegros assistiram ao confronto contra o Nova Iguaçu.

DESINTERESSE
Em oito clássicos disputados, a média de pagantes foi de apenas 12.414 mil torcedores pagantes.