icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
08/02/2015
19:28

Nada melhor do que um jogador experiente e altamente vitorioso para decidir o primeiro Dérbi da história do Allianz Parque. Quer dizer, poderia ter sido ainda melhor se o mesmo vestisse a camisa do mandante Palmeiras. Não foi o caso. O visitante Corinthians estragou a festa do arquirrival, graças ao sempre “importante” Danilo.

A estrela do veterano meia brilhou mais forte outra vez. Depois de igualar o placar (1 a 1) nos minutos finais do último clássico do ano passado, pelo Brasileirão, no Pacaembu, o camisa 20 foi mais rápido desta vez. Neste domingo, com uma ajuda considerável do zagueiro alviverde Victor Hugo, que entregou a bola nos pés de Petros, ele fez o gol da “importante” vitória do Timão por 1 a 0.

Sem Cássio, expulso logo no começo do segundo tempo, a importância de Danilo tornou-se ainda mais necessária. Guerrero saiu do time para dar lugar a Walter. Com Mendoza correndo sem parar na ponta esquerda e ajudando na marcação, o capitão do time fez o papel de último homem na frente.

Falso lento, Danilo não ficou preso na frente. Ele queria ser mais “importante”, para variar. Aos 35 anos, mas com disposição de garoto, ele voltou para ajudar o setor defensivo, que sofreu pressão durante quase toda a etapa final. Ele marcou bem, achou espaço para sair jogando, se impôs no meio e também prendeu a bola no ataque.


- (Como é ser importante?) Isso é importante. Gosto de ajudar, nem que seja por 10 ou 15 minutos. A minha história sempre foi assim aqui no Corinthians, sempre decidindo. Espero continuar assim - declarou.

Danilo não é titular de Tite. Mas Danilo, como ele próprio costuma dizer (até demais), é “importante” para o Corinthians. E tem sido assim desde que ele chegou ao clube, com muitos títulos, gols (dez só em clássicos) e liderança de sobra. Ele é “importante” ou não é?