icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
23/11/2014
17:31

De acordo com David Luiz, a Seleção Brasileira não estava preparada para sofrer uma humilhação tão grande como foi a goleada sofrida para a Alemanha, por 7 a 1, na semifinal da Copa do Mundo de 2014. Capitão do time na ocasião, o jogador do Paris Saint-Germain disse ainda que, nesta condição, deveria ter conseguido ajudar o time brasileiro a se reorganizar em campo.

- Ninguém estava esperando que o jogo fosse acontecer daquela maneira. Tomar quatro gols em poucos minutos, vendo que você está fora da final. Não estávamos preparados para um golpe tão forte como foi. Estava acontecendo tudo certo para a Alemanha. E eu pensei: "vamos começar do zero. Vamos fechar". Mas não conseguimos ter aquela consciência naquele momento. Você prepara um sonho, uma atmosfera, vê um país unido, feliz... E, em seguida, ver um estádio em silêncio. Você olha para o lado e vê tudo acabado, pensa que é sonho e quer acordar do pesadelo. Eu era o capitão naquela tarde e deveria ter tido um melhor entendimento de jogo para tomar alguma atitude - disse David, em entrevista à TV Globo, neste domingo, relembrando ainda como foram os momentos depois da partida:

- Lembro que fui pro meu quarto e comecei a refletir para entender o que tinha acontecido. Por que naquele dia? Por que Deus havia me colocado como capitão naquela partida? Queria entender o propósito. Tentava encontrar caminhos, explicações, e não encontrava. Você olhava um corredor em silêncio. Era um local que imperava a alegria, a energia positiva. Mas eu gosto de encarar as coisas e ver soluções. Não se entregar para o problema. O país só estava chorando junto porque estávamos unidos. Conseguimos trazer essa paixão de volta. Essa paixão de estar junto, do patriotismo, todos torcendo juntos, indo para o jogo, de ver na TV, juntar na casa de um ou de outro, no barzinho. Servia de conforto e deu para ver que não perdemos tudo.

Autor de dois gols no Mundial do Brasil, David afirmou que trocaria os tentos anotados por ele por uma campanha mais digna da Seleção.

- Trocava tudo (os gols) pelo título. Sem o título, não valeu de nada. Eu não tenho como sorrir sozinho porque fiz dois gols na Copa. Trocava tudo para ver o sorriso no rosto de todo mundo - disse o zagueiro.