icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
18/07/2013
00:43

Há jogadores que parecem não sentir os momentos decisivos. Há jogadores que parecem brilhar mais do que o normal quando tem título em jogo. Há jogadores que parecem iluminados para estar presente em times que estão em boa fase e levantando canecos. Romarinho e Danilo são desses aí!.

O que se viu na noite desta quarta-feira no Pacaembu, para delírio de quase 40 mil torcedores, foi mais uma amostra dessa personalidade e estrela que fazem parte das trajetórias do atacante e do meia. O primeiro chegou em maio do ano passado para fazer história no Corinthians, assim como o segundo que chegou em 2010.

O gol que abriu o caminho para o título da Recopa, inédito no Memorial do Parque São Jorge, saiu dos seus pés. Saiu da sua esperteza. Saiu de seu faro de gol. Saiu de seu poder de decisão. Após um lindo lançamento de Edenilson, a bola caiu nos pés de Emerson, que tocou e a bola sobrou para Guerrero. O camisa 9 fez o pivô, trombou e a bola sobrou para quem? Para Romarinho, é claro. O camisa 14 dividiu com a zaga e a bola foi parar no canto direito de Rogério Ceni. É dele!

Assim como fez na Bombonera, assim como costuma fazer no mais tradicional clássico do futebol paulista (contra o Palmeiras), o jovem atacante se fez presente no momento mais decisivo. E, para aqueles que pensam que fez “apenas isso”, é bom lembrar que foi um dos principais jogadores no Morumbi, fazendo a jogada do gol de Guerrero, e ontem com mais uma boa exibição diante do mesmo Tricolor.

Danilo, como não poderia ser diferente, fez no segundo tempo, sacramentando o caneco do Timão. Dois jogadores iluminados, dois responsáveis diretos por essa sequência de títulos impressionante do Corinthians. É para poucos!

Fiel lota Pacaembu e faz linda festa em título do Timão

Há jogadores que parecem não sentir os momentos decisivos. Há jogadores que parecem brilhar mais do que o normal quando tem título em jogo. Há jogadores que parecem iluminados para estar presente em times que estão em boa fase e levantando canecos. Romarinho e Danilo são desses aí!.

O que se viu na noite desta quarta-feira no Pacaembu, para delírio de quase 40 mil torcedores, foi mais uma amostra dessa personalidade e estrela que fazem parte das trajetórias do atacante e do meia. O primeiro chegou em maio do ano passado para fazer história no Corinthians, assim como o segundo que chegou em 2010.

O gol que abriu o caminho para o título da Recopa, inédito no Memorial do Parque São Jorge, saiu dos seus pés. Saiu da sua esperteza. Saiu de seu faro de gol. Saiu de seu poder de decisão. Após um lindo lançamento de Edenilson, a bola caiu nos pés de Emerson, que tocou e a bola sobrou para Guerrero. O camisa 9 fez o pivô, trombou e a bola sobrou para quem? Para Romarinho, é claro. O camisa 14 dividiu com a zaga e a bola foi parar no canto direito de Rogério Ceni. É dele!

Assim como fez na Bombonera, assim como costuma fazer no mais tradicional clássico do futebol paulista (contra o Palmeiras), o jovem atacante se fez presente no momento mais decisivo. E, para aqueles que pensam que fez “apenas isso”, é bom lembrar que foi um dos principais jogadores no Morumbi, fazendo a jogada do gol de Guerrero, e ontem com mais uma boa exibição diante do mesmo Tricolor.

Danilo, como não poderia ser diferente, fez no segundo tempo, sacramentando o caneco do Timão. Dois jogadores iluminados, dois responsáveis diretos por essa sequência de títulos impressionante do Corinthians. É para poucos!

Fiel lota Pacaembu e faz linda festa em título do Timão