icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2014
10:02

Contratação mais cara da história do futebol brasileiro, Leandro Damião, que foi comprado pelo Santos por R$ 42 milhões em dezembro do ano passado, vive a fase mais difícil da sua carreira. Em baixa, ele viu a eliminação do Santos na Copa do Brasil para o Cruzeiro do banco de reservas.

Depois de atuar pouco mais de dez minutos na partida de ida, no Mineirão, ele nem sequer entrou no decorrer do duelo de volta, na Vila Belmiro. O técnico Enderson Moreira preferiu utilizar, por exemplo, o jovem Jorge Eduardo, de 19 anos, que substituiu Robinho no segundo tempo.

Em 2014, o camisa 9 tem sua pior média de gols da carreira, confirmando tendência de queda que vem desde 2012. Em 39 partidas pelo Santos, Damião marcou nove gols, média de 0,23. Ano passado ele sofreu com lesões e teve 0,27, bem abaixo do obtido em 2012, quando teve média de 0,55 e principalmente de 2011, quando o aproveitamento foi de 0,74 bola na rede por confronto.

Além de não viver bom momento, Leandro Damião perdeu espaço por conta da grande fase vivida por Gabigol, artilheiro do Peixe na temporada, com 15 gols em 48 duelos. Diferentemente de Oswaldo de Oliveira, que manteve Damião no ataque e "rodou" os demais atacantes, o técnico Enderson Moreira tem bancado o jovem camisa 10 e mantido Damião no banco.

Com Geuvânio e Thiago Ribeiro machucados e Robinho como dúvida, Leandro Damião pode voltar a ter chance no domingo, no clássico contra o Corinthians, na Arena, pela 33ª rodada do Brasileirão.