icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Russel Dias
18/11/2014
09:20

O histórico de Enderson Moreira com Leandro Damião – o centroavante foi revelado por ele no Inter B – pesou na hora da diretoria do Santos contratar o treinador. Porém, mesmo sob o comando do velho conhecido, o camisa 9 não embalou. Pelo contrário! O atacante foi reserva em metade dos 20 jogos do técnico na equipe, tendo feito três gols neste período.

E a vida não está fácil para o jogador. Se já não bastasse a escassez de chances na equipe e de bolas na rede, ele também sofre com a falta de pagamentos. Os direitos de imagem do atleta (e de outros astros da equipe), correspondentes a boa parte de seus vencimentos, não são quitados há cerca de dois meses. Sem detalhar o tempo e o motivo do atraso, a diretoria alvinegra confirma a informação, mas ressalta que o salário dele e de todos os demais atletas do elenco estão em dia.

Damião pode ver o resto do ano na reserva. Segundo Enderson Moreira, essa também é uma forma de preservar o camisa 9, que vem sendo muito cobrado pela torcida.

– Se a gente põe o Damião e ele perde um gol, parece que o mundo vai acabar. É melhor preservá-lo para que ele tenha uma pressão menor – declarou Enderson.

A atitude da comissão técnica não agradou parte da diretoria santista, já que vai na contramão dos interesses da cúpula, que pagou R$ 42 milhões pelo atleta e gostaria de vê-lo em campo para marcar gols e também voltar a se valorizar.

Apesar de nos bastidores o clima ser de total decepção com Leandro Damião, publicamente os dirigentes do clube tentam pôr panos quentes e defendem o camisa 9, como fez o presidente Odílio Rodrigues, em entrevista ao LANCE!Net.

– A contratação não foi um erro. Os atacantes têm essas fases. Ele vai voltar a jogar bem e fazer gols.