icons.title signature.placeholder TÊNIS NEWS
15/02/2015
20:53

O uruguaio Pablo Cuevas esteve em situação delicada neste domingo, mas prevaleceu contra o qualifier italiano Luca Vanni e conquistou o Brasil Open. O número 32 do mundo viu o rival sacar para o título no terceiro set e conseguiu se recuperar para ficar com o troféu, com 6/4 3/6 7/6(4), em 2h02.



"Foi uma partida difícil, comecei bem, mas depois mudou muito", disse o campeão que ergue sua terceira taça ATp na vida: "Quando ele sacou para a partida me lembrei que na primeira rodada enfrentei uma situação parecida e busquei fazer o mesmo. Tentei ficar o mais tranquilo possível e coloquei todas as devoluções em jogo. Daí até o final foi uma agonia".

 

Cuevas é o primeiro uruguaio a faturar o título do torneio mais tradicional do Brasil e nesta semana será o melhor sul-americano no ranking da ATP. Além dos 250 pontos, a conquista rende ao tenista de 29 anos uma premiação de 80.850 dólares.

 

Apesar de ter mais experiência no circuito, Cuevas admitiu que também sentiu a pressão no tiebreak e que procurou errar menos que o italiano. "Senti que no final não jogamos um grande tênis, porque estava muito nervoso e parecia que era a primeira vez que estava em uma final. Além disso, tinha um grande jogador pela frente, que vinha com muita confiança, em uma grande semana e saca muito bem".

 

O uruguaio figurava no top 50 há quase quatro anos. Entre 2011 e 2013, ficou 22 meses sem disputar um torneio e foi submetido a duas cirurgias no joelho. Há exatamente um ano, ainda estava fora do top 200 e não tinha finais de ATP no currículo.

 

A evolução em 2014 o levou a dois títulos no segundo semestre e o troféu em São Paulo o alçará ao melhor ranking da carreira, além de ter marcado sua 100ª vitória em torneios da ATP. "Estou tendo uma volta espetacular ao circuito. Em nenhum momento imaginei ou sonhei que seria assim. E agora comecei a gira sul-americana da melhor maneira possível", comemorou o uruguaio.

 

Vanni, que antes do Brasil Open havia disputado apenas duas chaves principais de ATP - com derrotas nas estreias -, deixa São Paulo com 150 pontos no ranking e 42.600 dólares de premiação pelo vice-campeonato. O simpático italiano começou a disputar o circuito profissional apenas com 21 anos e foi a grande sensação do Brasil Open, passando o qualifying e alcançando a final inédita na melhor semana da carreira.

 

"Tenho que estar muito feliz. Foi um jogo apertado e lutei contra o Cuevas, que amanhã vai estar perto de 25 no ranking e acho que no saibro ele provavelmente é um top 15. Agora o meu primeiro objetivo é entrar na chave de Roland Garros", afirmou Vanni.

 

Sobre o momento que poderia ter sido decisivo no 3º set, o italiano disse que não quis pensar que sacaria em 5/4 para vencer o torneio e reconheceu os méritos de Cuevas. "Comecei o game com um bom serviço e depois ele jogou bem, foi sólido e colocou todas as bolas na quadra. Assumi alguns riscos, o que às vezes pode ser bom ou ruim. Hoje, infelizmente, não foi bom. Mas tenho que estar muito satisfeito".