icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2013
08:24

Em agosto de 2011, o Atlético-MG estava brigando para não cair, estando na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro. Então, Alexandre Kalil trouxe o técnico que havia acabado de sair do Cruzeiro: Cuca. A entrada do treinador mudou o rumo das coisas e, menos de dois anos depois, ele pode virar um dos maiores do Galo, com o título da Libertadores. O próprio técnico comentou essa evolução.

- Eu estou muito feliz no Atlético, trabalho a longo prazo, peguei na zona de rebaixamento, fui bicampeão Campeonato Mineiro, temos que valorizar o vice do Brasileiro e a final da Libertadores. As coisas estão indo bem, estou muito contente com o clube, com o grupo que trabalho e comigo mesmo. O tempo passa e a gente aprende muito - afirmou o treinador.

Outro que reafirmou a linha de pensamento de Cuca foi um jogador que voltou ao Galo por causa dele, no começo de 2012, quando Alexis Stival teve tempo de fazer o que mais sabe: montar uma equipe competitiva em uma pré-temporada.

- Acho que é o momento de superação, estávamos, há dois anos, brigando para não cair, são dois anos de trabalho com Cuca, dois anos que vem dando resultado, vice-campeão do Campeonato Brasileiro e, agora, finalista da Libertadoers. Estamos tendo um reconhecimento do trabalho. é um momento único que eu estou vivendo, que o Atlético está vivendo. Espero que possamos coroar com esse campeonato - afirmou o lateral-direito Marcos Rocha.


Em agosto de 2011, o Atlético-MG estava brigando para não cair, estando na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro. Então, Alexandre Kalil trouxe o técnico que havia acabado de sair do Cruzeiro: Cuca. A entrada do treinador mudou o rumo das coisas e, menos de dois anos depois, ele pode virar um dos maiores do Galo, com o título da Libertadores. O próprio técnico comentou essa evolução.

- Eu estou muito feliz no Atlético, trabalho a longo prazo, peguei na zona de rebaixamento, fui bicampeão Campeonato Mineiro, temos que valorizar o vice do Brasileiro e a final da Libertadores. As coisas estão indo bem, estou muito contente com o clube, com o grupo que trabalho e comigo mesmo. O tempo passa e a gente aprende muito - afirmou o treinador.

Outro que reafirmou a linha de pensamento de Cuca foi um jogador que voltou ao Galo por causa dele, no começo de 2012, quando Alexis Stival teve tempo de fazer o que mais sabe: montar uma equipe competitiva em uma pré-temporada.

- Acho que é o momento de superação, estávamos, há dois anos, brigando para não cair, são dois anos de trabalho com Cuca, dois anos que vem dando resultado, vice-campeão do Campeonato Brasileiro e, agora, finalista da Libertadoers. Estamos tendo um reconhecimento do trabalho. é um momento único que eu estou vivendo, que o Atlético está vivendo. Espero que possamos coroar com esse campeonato - afirmou o lateral-direito Marcos Rocha.