icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
21/11/2014
19:55

O desembarque do Cruzeiro, no início da noite desta sexta-feira, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, foi marcado por duas situações. O diretor de futebol Alexandre Mattos protagonizou ambas. Ele convocou a torcida para recepcionar a delegação, enquanto os jogadores deixaram o local por uma saída alternativa, e deu declarações polêmicas sobre a finalíssima da Copa do Brasil, diante do Atlético-MG, na próxima quarta-feira.

– É bom ser recebido com a torcida, nos motiva ainda mais. Na quarta-feira, nós vamos pagar a conta que eles estão nos devendo, vamos pagar a conta que o Atlético está nos devendo – disse o cartola.

Cerca de 500 torcedores, segundo a Polícia Militar (PM) foram ao aeroporto para acompanhar a chegada da delegação e ficaram frustrados por não verem todos os atletas que participaram da vitória sobre o Grêmio, na noite passada, em Porto Alegre.

Apesar da decepção, eles entoaram cânticos para o goleiro Fábio, o técnico Marcelo Oliveira e o diretor de futebol Alexandre Mattos, únicos a passarem pelo saguão principal do Aeroporto Internacional Tancredo Neves.

O cartola cruzeirense que acompanhou a delegação ainda comentou o imbróglio envolvendo os ingressos para a decisão da Copa do Brasil. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou que o Galo terá direito a 10% da carga de ingressos para o jogo, contrariando a decisão da Polícia Militar de Minas Gerais e do mandante do confronto.

– Não estou preocupado com essa situação de ingressos. Temos gente competente aqui em Belo Horizonte resolvendo isso. Estamos preocupados em vencer todo mundo que temos pela frente – concluiu.

Esta não foi a única medida tomada em prol do visitante na decisão do torneio. O Tribunal de Justiça acatou uma ação civil do Ministério Público de Minas Gerais (MP) e o mandante terá que reduzir o valor dos ingressos disponibilizados para o Atlético de R$ 1 mil para R$ 500.