icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2013
16:47

O Brasileirão de 2013 não é a primeira conquista do Cruzeiro fora de seus domínios. A história celeste inclui títulos de nível nacional e internacional que o clube foi buscar fora de Minas Gerais.

A única Taça Brasil do currículo cruzeirense foi trazida da Vila Belmiro. Em 1966, a Raposa de Tostão, Piazza, Dirceu Lopes buscou uma virada por 3 a 2 sobre o poderoso Santos de Pelé, Edu, Mengálvio e Zito, após a equipe santista abrir dois gols de vantagem na etapa inicial. Na partida de ida, os mineiros já tinham vencido o jogo por 6 a 2.

Também de virada, os celestes bateram o Palmeiras por 2 a 1 em pleno Parque Antarctica na decisão da Copa do Brasil de 1996. Luizão abriu o placar para os palmeirenses, mas Roberto Gaúcho e Marcelo Ramos decretaram o triunfo do Cruzeiro - que, na ida, não passara do empate em 1 a 1 no Mineirão.

Troféu mais importante de sua história - a Libertadores de 1976 - foi conquistado no Estádio Nacional, em Santiago (CHI), após vitória por 4 a 1 no Mineirão e derrota por 2 a 1 no Monumental de Nuñez. Nelinho, Eduardo e Joãozinho decretaram a vitória por 3 a 2 do Cruzeiro sobre o River Plate.

Mesmo perdendo por 1 a 0 em Avellaneda (ARG) para o Racing, o Cruzeiro sagrou-se campeão da Supercopa Libertadores de 1992. Roberto Gaúcho (2), Luís Fernando e Boiadeiro construíram a goleada por 4 a 0 do jogo de ida, no Mineirão.

Sete anos depois, a equipe celeste sagrou-se campeã da Recopa Sul-Americana no Monumental de Nuñez. A equipe, que abrira uma vantagem de 2 a 0 no jogo de ida, goleou por 3 a 0 o River Plate no jogo de ida - gols de Geovanni, Marcelo Ramos e Gustavo.