icons.title signature.placeholder Matheus Babo
20/02/2015
11:00

O Vasco foi o único rival carioca que Cristovão Borges ainda não encarou desde que chegou ao Fluminense, em abril do ano passado. Como chegou após a disputa do Campeonato Carioca, o treinador não teve a oportunidade de reencontrar o clube que treinou em 2011 e 2012, já que o Cruz-Maltino disputou a Série B do Brasileirão em 2014. Depois de quase um ano a frente do Tricolor, enfim chegou a hora.

Uma curiosidade é que Cristovão chegou ao Fluminense justamente por causa do Vasco. No ano passado, as equipes se encontraram nas semifinais do Estadual e o time de São Januário levou a melhor, tirando a vantagem tricolor de dois empates por ter a melhor campanha na fase classificatória. Após um empate em 1 a 1 e uma derrota por 1 a 0, o então técnico Renato Gaúcho acabou sendo demitido e deixou o cargo vago.

Como treinador do Vasco, Cristovão tem lembranças boas e ruins de quando participou do clássico. Em 2011, na primeira vez que encarou o Tricolor, viu sua equipe vencer por 2 a 1 na penúltima rodada do Brasileirão daquele ano, tirou o adversário da briga pelo título e levou a disputa com o Corinthians para a última rodada. O gol da vitória, no último minuto do jogo, foi marcado por Bernardo, que ainda está no Vasco, mas está fora deste jogo por suspensão.

Outra partida histórica foi a decisão da Taça Guanabara no ano seguinte. Os elencos dos dois clubes estavam recheados de estrelas. Se o Fluminense tinha Deco, Fred e Wellington Nem, Cristovão comandava nomes como Dedé, Juninho Pernambucano e Felipe. Após atuação de gala do meia luso-brasileiro, o Tricolor venceu por 3 a 1 e garantiu lugar na decisão do Carioca daquele ano, quando acabou com o título.


Cristovão Borges chegou ao Fluminense em abril do ano passado (Foto: Wagner Meier/Lancepress)