icons.title signature.placeholder VINÍCIUS PERAZZINI
10/06/2014
19:09

Há espaço para times fracos na Copa do Mundo? Curiosamente, sim... Em Recife, palco de cinco jogos da competição, uma atração fora do comum tem chamado a atenção dos turistas: a história do Íbis, o 'Pior Time do Mundo'. Camisa 10 no período no qual o clube bateu o recorde mundial de jogos sem vitória, Mauro Shampoo tem um salão de cabeleireiro na capital pernambucana e o estabelecimento viveu um boom de clientes do exterior nas últimas semanas. O LANCE!Net foi lá conferir os segredos do estabelecimento.

Dentro de uma galeria comercial na Praia da Boa Viagem, um dos principais pontos turísticos de Recife, o salão de Mauro Shampoo se destaca por imitar um campo de futebol e ter símbolos do Íbis espalhados por todos os cantos. Em tempos de Copa, o local foi 'rebatizado' como Arena Shampoo e passou a faturar mais.

- De 15 dias para cá, já apareceram americanos, alemães, japoneses e até gente da Fifa. Todo mundo veio cortar o cabelo e saber mais sobre o pior time do mundo. Por dia, são até R$ 300 a mais neste pré-Copa. É um dinheiro fundamental - disse Mauro, que cobra R$ 30 por cada corte feito.


E MAIS
> Na contramão, Mundial minimiza a rivalidade entre Brasil e Argentina
> Modric ignora má fase de Neymar no Barcelona: 'Vai bem pelo Brasil'

Em dez anos no Íbis, Mauro fez apenas um gol (é isso mesmo, um gol!) e liderou o time que ficou 55 jogos (48 derrotas e sete empates) sem vitória, entre 1980 e 1984. Diante de tamanho currículo, virou folclore e figura famosa em Recife. Inclusive, ele é amigo de Hernanes, volante da Seleção Brasileira e da Inter de Milão, e o Profeta já vestiu a 'camisa' do Íbis pelo parceiro.

- Hernanes e meu filho estudaram juntos, era muito bom de bola no futebol de salão. Sempre quando ele pode, passa aqui para cortar o cabelo e coloca a roupa do salão, que é do Íbis - falou Mauro.

Hernanes já vestiu a camisa do Íbis. Para cortar o cabelo... (FOTO: Vinícius Perazzini)

Mauro Shampoo já escolheu sua seleçao favorita no Mundial. E, evidentemente, a opção não seria por um favorito.

- Eu e mais dez torcedores do Íbis criamos a torcida 'Japíbis', para empurrar o Japão. No ano passado, na Copa das Confederações, era 'Taitíbis'. A gente torce para que a surpresa vença um dia, somos solidários - afirmou Mauro.

Mauro aumentou a renda em R$ 300 por dia na onda do Mundial (FOTO: Vinícius Perazzini)