icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Rodrigo Cerqueira
19/03/2014
08:03

A crise política na Ucrânia atinge diretamente o Metalist, e o tradicional clube de 89 anos, situado na cidade de Kharkiv, pode sofrer com a perda de jogadores. Com seis brasileiros no elenco, já teve uma importante baixa: a fuga do então mandatário Sergey Kurchenko, que era alinhado ao presidente deposto do país, Viktor Yanukovich.

Mais do que a sintonia com os ideais russos e a proximidade com Vladimir Putin, presidente da Rússia, Kurchenko e Yanukovich tinham uma relação de cunho comercial. Segundo o LANCE!Net apurou, o ex-presidente ucraniano dava aporte financeiro ao Metalist. e a saída dele do poder enfraqueceu financeiramente o clube.

O Metalist chegou a completar três meses de salários atrasados. A solução paliativa, então, foi negociar cinco jogadores entre janeiro e fevereiro deste ano. O valor arrecadado serviu para quitar dois meses das pendências.

A saída de Kurchenko coincide com a data da renúncia de Yanukovich, no fim de fevereiro. Há informações de que o mandatário do Metalist se encontra fora do país.

Na terça-feira, ele e o ex-presidente da Ucrânia apareceram em uma lista divulgada pela Casa Branca, nos Estados Unidos, que impõe sanções do país americano e da União Europeia a eles. Os ex-dirigentes terão restrição, entre outras, de liberação de visto.

Sergey Kurchenko, de 28 anos, despontou na Ucrânia como um novo rico. Há dois anos, ele investiu 800 milhões de dólares (R$ 1,873 bilhão) na compra de ativos e consolidou a fortuna de 2,4 bilhões de dólares (R$ 5,62 bilhões) por meio do comércio de gás. Hoje é detentor da maior fatia do mercado de energia da Ucrânia. Há uma semana, teve os ativos congelados pela União Europeia acusado, com mais outras 17 pessoas, de desvio de verba.

Técnico também sai e futuro é incerto

Não foi apenas o presidente Sergey Kurchenko que deixou o Metalist no momento em que eclodiu a crise política na Ucrânia. Dois dias depois que presidente deposto do país, Viktor Yanukovich, fugiu, o técnico do clube, Myron Markevych, também abandonou o cargo.

Markevych ocupava a posição desde 2005 e alcançou a marca de 329 partidas à frente da equipe. Igor Rakhaev, que era funcionário do Metalist, assumiu o comando interinamente no último dia 24.

Em momento de incertezas quanto ao futuro, seis brasileiros ainda têm contrato com o clube.

O zagueiro Rodrigo Moledo, o lateral-esquerdo Márcio Azevedo, e os meias Cleiton Xavier, Diego Souza e Marlos integram o elenco da temporada 2013/2014. Ainda há o atacante Willian, que está emprestado ao Cruzeiro até junho.

Em função das manifestações, o campeonato ucraniano foi suspenso por duas rodadas e retomado no fim de semana passado. Antes, a liga ficou paralisada por dois meses devido à pausa de inverno.

Na edição de quinta-feira, o LANCE! mostrará a situação dos brasileiros que estão no clube.

Investigações

Na mira dos EUA
Na segunda-feira, a Casa Branca, nos Estados Unidos, divulgou uma série de sanções impostas pelo país americano e pela União Europeia a Sergey Kurchenko e a Viktor Yanukovich. Os ex-mandatários terão restrição à liberação de visto entre outras punições destacadas na lista.

Punições da União Europeia
No dia 6 de março, a União Europeia divulgou uma lista com o nome de 18 funcionários ucranianos e líderes empresariais do país, entre eles Sergey Kurchenko, que tiveram os ativos congelados por causa de desvio de verbas e de recursos do país. Em fevereiro, o primeiro-ministro recém-instalado, Arseny Yatseniuk, revelou que US$ 70 bilhões (R$ 164 bilhões) tinham desaparecido dos balanços públicos. O regime de Yanukovich foi acusado de esconder o dinheiro em contas bancárias no exterior.

Relação estreita
Adversários políticos de Viktor Yanukovich dizem que o rápido enriquecimento de Sergey Kurchenko se deu por meio da relação com o ex-presidente deposto da Ucrânia. Portanto, a amizade entre eles era além do simples aporte de Yanukovich ao Metalist durante o tempo em que Kurchenko ficou à frente do clube no curto período de 2012 até fevereiro deste ano.

Quem é Sergey Kurchenko

Nascimento:
21/9/1985

Fortuna:
US$ 2,4 bilhões (R$ 5,62 bilhões)

Quando chegou ao Metalist:
2012

Atividades
Em 2012, recebeu o título da Forbes da Ucrânia de “O Rei do Gás” do país. Em dois anos, conseguiu deter a maior fatia do mercado de energia do país. Tem relação estreita com Viktor Yanukovich. Ambos são alinhados ao presidente da Rússia, Vladimir Putin. Deixou o clube no fim de fevereiro.

Crise na Ucrânia/Crimeia

População russa
Assim como em todo o Leste da Ucrânia, a população da Crimeia é pró-Rússia. Falam, inclusive, o idioma russo.

Invasão
Após a queda do ex-presidente Viktor Yanukovych, que era pró-Rússia, forças do país vizinho invadiram a península ucraniana.

Independência
O Parlamento da Crimeia, que já possuía um grau de autonomia, proclamou a independência da região semana passada.

Plebiscito
No domingo, a população da Crimeia em sua maioria decidiu pela anexação ao território russo. EUA e União Europeia não reconhecem o pleito.