icons.title signature.placeholder Felippe Rocha
10/12/2013
12:39

O Vasco confirmou, na noite desta segunda-feira, que irá tentar, na Justiça Desportiva, ganhar os pontos da partida contra o Atlético-PR, do último domingo, que ficou paralisada por 71 minutos, extrapolando, assim, o limite previsto pelo regulamento do Campeonato Brasileiro. Se ganhar a ação, o Cruz-Maltino não apenas escapará da Série B como afetará outros clubes: Atlético-PR e Botafogo, na briga pela Libertadores, e o Criciúma, que cairia no lugar do Vasco. O diretor jurídico do Tigre, Albert Zilli, mostrou-se indignado com a possibilidade:

- Se isso acontecer será a maior vergonha da face da Terra. A pergunta é muito simples: por que o Vasco voltou a jogar? E tem outra situação: a última procedência deste tipo foi em São Januário (final da Copa João Havelange, em 2000), com o Vasco contra o São Caetano. Isso acarretaria, além de uma vergonha de tapetão, com o Criciúma extremamente prejudicado por um fato de terceiros. Seria a primeira vez na história que um clube seria beneficiado por um vandalismo da própria torcida, além, logicamente, da torcida do Atlético-PR. Seria ridículo - afirmou.

O dirigente lamentou ainda que este tipo de ação tenha ocorrido tão próximo à realização da Copa do Mundo do ano que vem, no Brasil, e alertou para o perigo do Brasileirão do ano que vem ficar paralisado:

- Acho que esse tempo já passou. E ainda tem o risco de uma enxurrada de ações na Justiça comum paralisando o campeonato do ano que vem, o que seria uma vergonha num ano de Copa do Mundo - concluiu.

O Criciúma terminou o Campeonato Brasileiro na 16ª posição, com 46 pontos, a frente de Fluminense, no número de vitórias, e dois pontos a mais que o Vasco.