icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/03/2014
15:04

Quando se fala nas chances de Portugal e Argentina conquistarem a Copa do Mundo, logo se fala que não estão entre as favoritas, pois têm um craque cada, Cristiano Ronaldo e Messi, respectivamente, e nada mais. Que teriam que fazer como Maradona, Garrinha ou Romário. Nos últimos anos, os craques que se enfrentam neste sábado no clássico entre Real Madrid e Barcelona assumiram essas condições, mas até que há qualidade nas seleções.

Messi está mais bem acompanhado. Tem ao seu lado mais estrelas mundiais do que Cristiano Ronaldo. Ambos, aliás, conhecem muito bem os dois. O quarteto de frente tem, além do camisa 10, Agüero, Di María (que joga com o português no Real MAdrid) e Higuaín (que era companheiro do luso até o ano passado).

O restante do time, ou seja, do meio para trás, de fato deixa a desejar. A defesa com Fede Fernández e Garay, que é protegida por Mascherano e tem Zabaleta e Rojo nas laterais é considerada frágil. Gago é o jogador que costuma completar o meio-campo.

Portugal é bem mais dependente de Ronaldo do que a Argentina de Messi. O outro jogador badalado do time é o meia João Moutinho, que brilhou intensamente pelo Porto nos últimos anos, e agora está no Monaco. Os outros mais conhecidos são Fábio Coentrão e Pepe, ambos do Real Madrid.

O fio de esperança está na nova geração. Portugal conta com jovens talentosos, que aos poucos ganham espaço com Paulo Bento. O de mais destaque, e com grandes chances de ser até titular na Copa, é o volante William Carvalho. Com a camisa do Sporting, é considerado o melhor jogador do Campeonato Português. Outras joias como Rafa, do Braga, Ivan Cavaleiro, do Benfica, além de Bruma, do Galatasaray (com grave lesão, foi emprestado ao Gaziantepspor e pode perder a Copa).