icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
23/06/2014
00:30


Cristiano Ronaldo ainda não jogou a toalha. Apesar da classificação portuguesa às oitavas passar por uma série de combinações (a melhor seria a vitória da Alemanha sobre os Estados Unidos e uma goleada portuguesa sobre Gana, de modo que a diferença de cinco gols no saldo a favor dos americanos seja anulada) ele ainda tenta manter a esperança.

Na concorridíssima entrevista que concedeu na zona mista da Arena da Amazônia após o empate em 2 a 2 com os Estados Unidos, o melhor do mundo lembrou que o torcedor português não deveria ter a ilusão de que o time era um favorito ao título:

-  Diziam que seriamos campeões? Ficção. Nós, jogadores, sabíamos disso. Há equipes melhores do que nós e merecedoras do título.

Sobre algo mais urgente, a possibilidade de classificação para as oitavas, o astro disse que no futebol tudo é possível:

- Está muito dificil, quase impossível. Mas tudo pode acontecer. Vamos buscar um resultado positivo no próximo jogo.


Ele  disse não saber o motivo de Portugal não conseguir engrenar na Copa. Nem ter o poder de reação que mostrou, por exemplo, na repescagem contra a Suécia:
 
- Não sei o que falhou. Não ganhamos e não há explicação para isso. Nos últimos tempos não temos jogado da maneira que esperávamos, embora déssemos o nosso melhor. Não foi falta de atitude.


Cristiano Ronaldo também disse que não queria debitar aos seus problemas físicos a culpa dos insucessos.

- Isso já está ultrapassado. Tentei aqui dar  a cara o meu melhor, correr. Estou aqui de corpo e alma para ajudar. Daquilo que eu tenho não adianta falar, sempre sai notícias de meus problemas no joelho, tendinite, isso e aquilo - concluiu.