icons.title signature.placeholder Pedro Redig - especial para o LANCE!Net
23/02/2015
10:12

O gol que Philippe Coutinho marcou no fim de semana abrindo caminho para a vitória de 2 a 0 sobre o Southampton está dando o que falar. “Coutinho merece estar no coração do renascimento do time brasileiro,” pediu um comentarista na BBC.

O canal inglês reproduziu a trajetória da bola com precisão britânica: 31 jardas e 51 milhas por hora. Convertendo: 28,3 metros de distância e 82 quilometros por hora. Um chutaço que bateu no travessão e entrou no ângulo - um golaço daqueles que faz a gente gritar: “Uau!”

Coutinho tem apenas 22 anos mas mostra grande maturidade e conquista mais espaço no time.  Ele se livrou de uma missão que tinha até a temporada passada: deixar Suárez na cara do gol, ajudando e muito a fazer a glória do uruguaio como co-artilheiro da Europa junto com Cristiano Ronaldo.

A presença cada vez menor de Steven Gerrard também deixa Coutinho com mais liberdade para ditar o jogo, sem a obrigação de ter que passar a bola para o capitão que está de mudança para o Los Angeles Galaxy no final da temporada.

O meia de futebol elegante revelado no Vasco já devia ter ido para a Copa em  2014. Agora, tem que ser nome certo na lista de Dunga para os amistosos contra a França, dia 26 de março em Paris, e Chile, 29 de março, em Londres.

Enquanto o jovem brasileiro brilha no Liverpool, Suárez ainda sua para encontrar o lugar dele no Barcelona cheio de estrelas. A bola é uma só – e não parece grande o suficiente para os caprichos de solistas como Suárez, Neymar e Messi.

A derrota de 1 a 0 para contra o Málaga em casa reacendeu a revolta no clube onde um fracasso apenas já gera uma mini-crise. Suárez  tem quatro gols em 15 jogos o que não é o potencial dele e foi criticado pelas chances que perdeu no fim de semana. Sem os passes de Coutinho, a vida tem sido mais difícil para o marrento  uruguaio.   

Ingleses questionam se Neymar dá show demais

O Sunday Times publicou um artigo de quase página inteira elogiando Neymar mas cutucando também. Com o título “Agent Provocateur” (“Agente Provocador”), chama o brasileiro de “jogador mais empolgante do mundo” mas  questiona se parte do talento do nosso melhor jogador não passa de um show para a torcida.

O jornal inglês dá as boas-vindas ao jovem de 23 anos para o jogo na casa do Manchester City valendo uma vaga entre os oito finalistas da Liga dos Campeões. Chamado de showman, Neymar é descrito como um “superstar cheio de fintas e pedaladas” e saudado como “atração do Youtube.”    

Neymar é um dos grandes astros do futebol mundial (Foto: Josep Lago/ AFP)

O técnico Luís Enrique defende o atacante: “O jeito de ser dos jogadores tem a ver com a cultura de onde eles vêm. Você tira a bola, o samba e seja mais o que for – e ele deixa de ser brasileiro.”

O treinador do Barça conclui: “Não tenho nada a reclamar do Neymar. Ele tem um jeito meio descarado de jogar porque esta é a maneira como ele vê o futebol. Ele marca gols, dribla, é valente. É assim que ele gosta.”