icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/07/2013
15:31

Os números não mentem: o Coritiba vem sendo um sucesso de público em 2013. Dono da sexta melhor média de público do Campeonato Brasileiro (com 16.615 pagantes por jogo), o clube tem planos mais altos no Couto Pereira.

Ao lançar seu novo plano de sócios, em maio, a diretoria desafiou a torcida a chegar ao topo. Ainda não chegou lá, mas a adesão dos coxas-brancas está bem encaminhada. Em quatro jogos no Couto, houve um aumento de quatro mil pessoas em relação a 2012 – 12.579 pessoas. Até o momento, o Alto da Glória não viu um público inferior a 13 mil pessoas no ano de 2013. O menor número aconteceu na estreia do Brasileirão, contra o Atlético-MG. O Coxa, que vinha de eliminação para o Nacional-AM na Copa do Brasil, levou 14.189 torcedores.

– Acho que a média está razoável, mas poderia ser melhor. Até pela nossa campanha no Brasileiro. Estamos com quase 17 mil pagantes por jogo e se continuarmos com esta boa campanha com certeza chegaremos próximos dos 20 mil. Mas, para isto, é imprescindível o time continuar bem. Não tem como desvincular do desempenho no Brasileirão – avaliou o vice-presidente de futebol do Coritiba, Paulo Thomaz de Aquino. No entanto, o dirigente admite que não tem do que reclamar da torcida, principalmente pela regularidade nesta média. Aquino credita a atual colocação do clube ao “fator Brasília” – onde Flamengo, Vasco e Santos mandaram algumas de suas partidas.

– Estamos em sexto na média de público, mas poderíamos estar na frente. Se aquele jogo contra o Flamengo fosse no Rio de Janeiro, com certeza eles não teriam as quase 50 mil pessoas e estaríamos com a terceira melhor média, um número excelente – disse ele, acreditando que somente o líder Corinthians e o Grêmio ficariam à frente. O Coritiba, no entanto, está otimista que, a cada rodada, a torcida fique mais próxima do time. E o clube tome a frente na arquibancada.

COUTO PEREIRA NO BRASILEIRÃO

Coritiba 2x1 Atético-MG
Apenas 14.189 pagantes veem Arthur virar o jogo no fim. A vitória ameniza a eliminação na Copa do Brasil, para o Nacional-AM. Deivid faz o outro, e Diego Tardelli marca para o Galo.

Coritiba 2x1 Fluminense
Diante de 15.554 pagantes, Alex dá a vitória do desafogo, após o time ser dominado na etapa final. Robinho faz outro gol da equipe do Alto da Glória, e Carlinhos desconta para os cariocas.

Coritiba 1x0 Náutico
Sob os olhares de 16.815 pagantes, Deivid marca a um minuto e garante a vitória tranquila para o Coxa reassumir a liderança do Campeonato Brasileiro.

Coritiba 1x0 Atlético-PR
Diante de 19.909 pagantes, o angolano Geraldo entra em campo no AtleTiba para elevar o Coxa novamente ao posto de líder (que o Botafogo tomara). O jogo do carrasco do Furacão dá o maior público do Coxa no Brasileirão de 2013.

Capitão pede mais torcida

Apesar dos números estarem satisfazendo a diretoria do Coritiba, o meia Alex voltou a cobrar maior presença da torcida no Couto Pereira. O jogador, que desde que retornou ao clube vem pedindo total apoio e união vindo das arquibancadas, admitiu que esperava um público maior no Atletiba da semana passada – por ser um clássico e ser a chance de retomar a liderança no Brasileirão.

- Quem tem vindo vive bons momentos no Couto Pereira. Acredito que existe esse problema do sócio do clube, que dificulta um pouco para que o estádio esteja lotado. A gente viu isso no Atletiba, onde com as reformas na Mauá se imaginava que a curva dos fundos estaria cheia. Mas parece que o torcedor não gosta daquele lugar – disse o camisa 10.


Coxa lançou o seu primeiro plano para sócios estrangeiros no começo deste mês

Apesar do clube ter mais de 33 mil associados, o clube só ultrapassou o número de 30 mil pessoas no Couto Pereira foi na Copa do Brasil. Em 2011, contra o Vasco, o público pagante foi de 31.516 pessoas. Já em 2012, diante do Palmeiras, o público foi de 31.382 torcedores.

Aquino descarta falta de lotação a obras na Mauá

O vice de futebol, Paulo Thomáz de Aquino, foi além no apelo por uma média maior de público: ele quer o Couto Pereira lotado. O dirigente do Coxa ainda não tem explicação para o fato do estádio ainda não ter ultrapassado a média de 20 mil pessoas na competição.

– Por algum motivo ele não vai. Mas, com certeza, à medida que o Coritiba continuar vencendo seus jogos e seguir na ponta de cima da tabela, os torcedores comparecerão em peso – avaliou ele.

O dirigente não associou o afastamento dos grandes públicos às reformas que vêm acontecendo na reta do Setor Mauá .

– Eu não acredito nisto. Claro que se não fosse pelas reformas, tenho certeza que no Atletiba teríamos pelo menos 25 mil torcedores no estádio. Mas, ao mesmo tempo os torcedores de lá migraram para a curva da Mauá, na qual ainda se pode ter acesso. Não acredito que as pessoas deixaram de ir por conta das obras - disse

Os números não mentem: o Coritiba vem sendo um sucesso de público em 2013. Dono da sexta melhor média de público do Campeonato Brasileiro (com 16.615 pagantes por jogo), o clube tem planos mais altos no Couto Pereira.

Ao lançar seu novo plano de sócios, em maio, a diretoria desafiou a torcida a chegar ao topo. Ainda não chegou lá, mas a adesão dos coxas-brancas está bem encaminhada. Em quatro jogos no Couto, houve um aumento de quatro mil pessoas em relação a 2012 – 12.579 pessoas. Até o momento, o Alto da Glória não viu um público inferior a 13 mil pessoas no ano de 2013. O menor número aconteceu na estreia do Brasileirão, contra o Atlético-MG. O Coxa, que vinha de eliminação para o Nacional-AM na Copa do Brasil, levou 14.189 torcedores.

– Acho que a média está razoável, mas poderia ser melhor. Até pela nossa campanha no Brasileiro. Estamos com quase 17 mil pagantes por jogo e se continuarmos com esta boa campanha com certeza chegaremos próximos dos 20 mil. Mas, para isto, é imprescindível o time continuar bem. Não tem como desvincular do desempenho no Brasileirão – avaliou o vice-presidente de futebol do Coritiba, Paulo Thomaz de Aquino. No entanto, o dirigente admite que não tem do que reclamar da torcida, principalmente pela regularidade nesta média. Aquino credita a atual colocação do clube ao “fator Brasília” – onde Flamengo, Vasco e Santos mandaram algumas de suas partidas.

– Estamos em sexto na média de público, mas poderíamos estar na frente. Se aquele jogo contra o Flamengo fosse no Rio de Janeiro, com certeza eles não teriam as quase 50 mil pessoas e estaríamos com a terceira melhor média, um número excelente – disse ele, acreditando que somente o líder Corinthians e o Grêmio ficariam à frente. O Coritiba, no entanto, está otimista que, a cada rodada, a torcida fique mais próxima do time. E o clube tome a frente na arquibancada.

COUTO PEREIRA NO BRASILEIRÃO

Coritiba 2x1 Atético-MG
Apenas 14.189 pagantes veem Arthur virar o jogo no fim. A vitória ameniza a eliminação na Copa do Brasil, para o Nacional-AM. Deivid faz o outro, e Diego Tardelli marca para o Galo.

Coritiba 2x1 Fluminense
Diante de 15.554 pagantes, Alex dá a vitória do desafogo, após o time ser dominado na etapa final. Robinho faz outro gol da equipe do Alto da Glória, e Carlinhos desconta para os cariocas.

Coritiba 1x0 Náutico
Sob os olhares de 16.815 pagantes, Deivid marca a um minuto e garante a vitória tranquila para o Coxa reassumir a liderança do Campeonato Brasileiro.

Coritiba 1x0 Atlético-PR
Diante de 19.909 pagantes, o angolano Geraldo entra em campo no AtleTiba para elevar o Coxa novamente ao posto de líder (que o Botafogo tomara). O jogo do carrasco do Furacão dá o maior público do Coxa no Brasileirão de 2013.

Capitão pede mais torcida

Apesar dos números estarem satisfazendo a diretoria do Coritiba, o meia Alex voltou a cobrar maior presença da torcida no Couto Pereira. O jogador, que desde que retornou ao clube vem pedindo total apoio e união vindo das arquibancadas, admitiu que esperava um público maior no Atletiba da semana passada – por ser um clássico e ser a chance de retomar a liderança no Brasileirão.

- Quem tem vindo vive bons momentos no Couto Pereira. Acredito que existe esse problema do sócio do clube, que dificulta um pouco para que o estádio esteja lotado. A gente viu isso no Atletiba, onde com as reformas na Mauá se imaginava que a curva dos fundos estaria cheia. Mas parece que o torcedor não gosta daquele lugar – disse o camisa 10.


Coxa lançou o seu primeiro plano para sócios estrangeiros no começo deste mês

Apesar do clube ter mais de 33 mil associados, o clube só ultrapassou o número de 30 mil pessoas no Couto Pereira foi na Copa do Brasil. Em 2011, contra o Vasco, o público pagante foi de 31.516 pessoas. Já em 2012, diante do Palmeiras, o público foi de 31.382 torcedores.

Aquino descarta falta de lotação a obras na Mauá

O vice de futebol, Paulo Thomáz de Aquino, foi além no apelo por uma média maior de público: ele quer o Couto Pereira lotado. O dirigente do Coxa ainda não tem explicação para o fato do estádio ainda não ter ultrapassado a média de 20 mil pessoas na competição.

– Por algum motivo ele não vai. Mas, com certeza, à medida que o Coritiba continuar vencendo seus jogos e seguir na ponta de cima da tabela, os torcedores comparecerão em peso – avaliou ele.

O dirigente não associou o afastamento dos grandes públicos às reformas que vêm acontecendo na reta do Setor Mauá .

– Eu não acredito nisto. Claro que se não fosse pelas reformas, tenho certeza que no Atletiba teríamos pelo menos 25 mil torcedores no estádio. Mas, ao mesmo tempo os torcedores de lá migraram para a curva da Mauá, na qual ainda se pode ter acesso. Não acredito que as pessoas deixaram de ir por conta das obras - disse