icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/11/2013
10:05

O duelo contra o Vitória, no último domingo, representou o 15º empate do Corinthians em 32 rodadas e não mudou a situação da equipe no Brasileirão. Mas ao menos o jogo serviu para os jogadores mostrarem que o recado de Tite foi entendido: há necessidade de chutar mais ao gol adversário. No Barradão, o Corinthians bateu seu próprio recorde no torneio e finalizou 21 vezes. Mesmo que apenas sete tenham sido em direção ao gol de Wilson, a marca já agrada.

- Contra o Vitória conseguimos abrir espaço de finalização para o Renato Augusto, para o Danilo, o Douglas, o Guilherme... a verdade é que até as substituições foi um jogo, porque o Corinthians teve domínio, criou oportunidades, mas pecou na finalização de média distância. Agora é treinar - afirmou Tite após o empate por 1 a 1 em Salvador.

Na semana passada, a primeira livre do Corinthians após três meses jogando de quarta e domingo, todos os dias foram marcados por atividades de finalização no CT Joaquim Grava, já que a equipe detém o segundo pior ataque do Brasileirão com 25 gols, à frente apenas do Náutico, que marcou cinco a menos. A ordem de Tite para que a equipe chutasse mais a gol foi aplicada diante do Vitória, aumentando a média de finalizações por jogo para 11,5, sendo apenas 4,28 em direção ao gol.

As orientações de Tite marcaram uma evolução do Corinthians em número de finalizações, segundo o Footstats. A deficiência da equipe neste quesito ficou evidenciada no empate sem gols diante do Atlético-PR, no último dia 9/10, quando o time de Tite finalizou apenas cinco vezes, pela 27ª rodada. Desde então, a equipe só melhorou: foram nove tiros ao gol contra o São Paulo, 11 diante do Grêmio, 16 duas vezes, contra Criciúma e Santos, e o recorde de 21 no último fim de semana.