icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
13/07/2013
07:05

O acordo entre Corinthians, DIS e Ponte Preta foi selado na noite desta sexta-feira por um valor menor ao que era cogitado no início: R$ 6 milhões por 80% dos direitos econômicos. Destes, 60% ficarão com a DIS e 20% com o Corinthians. Os outros 20% restantes já eram divididos entre o próprio Cleber (10%) e seu empresário, Beto Rappa (10%).

A nova parceria também contará com a ajuda do empresário Fernando Garcia, irmão de Paulo Garcia, conselheiro de oposição do presidente Mário Gobbi. Os dois, no entanto, mantém relações amistosas com a atual diretoria e também têm um bom relacionamento com a DIS.

Corinthians e Ponte Preta acionaram a DIS para salvar um negócio quase certo que chegou a correr o risco de melar na última quinta-feira. A empresa, braço esportivo do Grupo Sonda, será o parceiro do Timão na contratação do zagueiro Cleber. As partes se reuniram e formataram o acordo, que será assinado no início da próxima semana, quando o jogador será apresentado no CT Joaquim Grava.

Como revelou o LANCE!Net, Cleber inicialmente chegaria com ajuda do fundo inglês Doyen Sports, representado pelo empresário Renato Duprat, que foi o intermediário do acordo entre Corinthians e MSI no fim de 2004. Sua participação no negócio foi determinante para que o mesmo fosse desfeito.

O diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, convocou uma entrevista coletiva no CT Joaquim Grava para explicar a negociação e detonou Duprat.

Cleber vinha mantendo a forma em uma academia particular e vai precisar de tempo de treinamento para chegar ao estágio físicos dos companheiros. Em breve ele já estará regularizado para participar do Brasileirão. No elenco, o Timão hoje conta com Gil, Paulo André, Chicão e Felipe para o setor.

O acordo entre Corinthians, DIS e Ponte Preta foi selado na noite desta sexta-feira por um valor menor ao que era cogitado no início: R$ 6 milhões por 80% dos direitos econômicos. Destes, 60% ficarão com a DIS e 20% com o Corinthians. Os outros 20% restantes já eram divididos entre o próprio Cleber (10%) e seu empresário, Beto Rappa (10%).

A nova parceria também contará com a ajuda do empresário Fernando Garcia, irmão de Paulo Garcia, conselheiro de oposição do presidente Mário Gobbi. Os dois, no entanto, mantém relações amistosas com a atual diretoria e também têm um bom relacionamento com a DIS.

Corinthians e Ponte Preta acionaram a DIS para salvar um negócio quase certo que chegou a correr o risco de melar na última quinta-feira. A empresa, braço esportivo do Grupo Sonda, será o parceiro do Timão na contratação do zagueiro Cleber. As partes se reuniram e formataram o acordo, que será assinado no início da próxima semana, quando o jogador será apresentado no CT Joaquim Grava.

Como revelou o LANCE!Net, Cleber inicialmente chegaria com ajuda do fundo inglês Doyen Sports, representado pelo empresário Renato Duprat, que foi o intermediário do acordo entre Corinthians e MSI no fim de 2004. Sua participação no negócio foi determinante para que o mesmo fosse desfeito.

O diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, convocou uma entrevista coletiva no CT Joaquim Grava para explicar a negociação e detonou Duprat.

Cleber vinha mantendo a forma em uma academia particular e vai precisar de tempo de treinamento para chegar ao estágio físicos dos companheiros. Em breve ele já estará regularizado para participar do Brasileirão. No elenco, o Timão hoje conta com Gil, Paulo André, Chicão e Felipe para o setor.