icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
23/02/2015
10:03

Corinthians e Caixa Econômica Federal continuarão parceiros até o fim de 2015. Clube e banco acertaram a renovação do contrato de patrocínio, que renderá o mesmo valor do acordo firmado em novembro de 2012: R$ 30 milhões, mais bônus por títulos dos Campeonatos Paulista e Brasileiro, além da Libertadores e consequente participação no Mundial de Clubes.

Apesar de não ter conseguido aumentar o valor, o clube de Parque São Jorge conseguiu manter o contrato de maior valor entre os clubes brasileiros. Mas a negociação não foi nada fácil, já que as conversas se arrastavam há meses. A troca de comando da instituição financeira, consequência das eleições do último mês de outubro, foi um do entraves para a decisão de se manter ou não. A Caixa Econômica Federal, inclusive, analisou a possibilidade de cortar os patrocínios a diversos outros clubes brasileiros.

Mesmo com o fim do acordo, no dia 31 de janeiro, o Corinthians manteve a Caixa na camisa no segundo jogo contra o Once Caldas (COL) e diante do São Paulo, ambos pela Libertadores, que registraram índices altíssimos de audiência. De acordo com o clube, a intenção de manter a exposição era a de reafirmar o interesse de manter a parceria, algo que foi confirmado nesta segunda-feira no Diário Oficial.

A partir de agora, o departamento de marketing do Corinthians tentará fechar acordos com outras empresas para que as mesmas estampem suas marcas na manga e no ombro da camisa alvinegra, espaços que eram ocupados pela Fisk e pela CarSystem. As duas empresas, porém, não renovaram seus acordos após o fim da última temporada.

Texto do Diário Oficial publicado na seção 3:

"EXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO CONTRATANTE: Caixa Econômica Federal; CONTRATADA: Sport Club Corinthians Paulista ; OBJETO: Patrocínio ao projeto Futebol - Sport Club Corinthians Paulista ; MODALIDADE DE LICITAÇÃO: Contratação direta, com inexigibilidade de licitação, conforme art. 25 da Lei nº 8.666/93; VALOR: R$ 30.000.000,00 (trinta milhões de reais); AUTORIZAÇÃO: AP 283/2015."