icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
02/11/2013
08:02

Restam apenas sete jogos para o Corinthians reagir e salvar o segundo semestre de 2013. Eliminado nas quartas de final da Copa do Brasil, caminho mais curto para a Libertadores, o atual campeão do mundo vive, a partir do confronto deste domingo, contra o Vitória, sua “Copa do Mundo” particular.

Com 41 pontos, precisa somar pelo menos 19 em 21 possíveis (seis vitórias e um empate) para alcançar 60 e, talvez, terminar o Brasileirão na quinta posição, o que pode render uma vaga na Libertadores do ano que vem – caso um dos quatro primeiros, Grêmio ou Atlético-PR, conquiste a Copa do Brasil e nenhum brasileiro seja campeão da Copa Sul-Americana (veja texto abaixo).

A engenharia é quase impossível, um milagre, ou “com chance desprezível, menor que 0,5%”, como diz o matemático Tristão Garcia. Mas há quem acredite, como o meia Renato Augusto, mantido no time titular.

– Enquanto houver chance, vamos tentar. Se puder classificar, excelente. Senão, pelo menos sair de cabeça erguida e salvar o ano com sete partidas dignas – diz o camisa 8.

A missão começa amanhã, no Barradão, em Salvador, contra o Vitória, que também sonha com a vaga na Libertadores via G5. Empate ou derrota pode significar adeus à última esperança que lhe resta. Depois, os últimos adversários serão Fluminense, Vasco e Internacional, em casa, e Coritiba, Flamengo e Náutico, fora.

Com protestos em frente ao CT e pedidos de saída de jogadores, a torcida cobra e não acredita na arrancada final no Brasileirão. Tite, que vai tratar da renovação quando alcançar os 46 pontos – o que, para o técnico, livra o time da possibilidade de rebaixamento –, ainda tinha fé no milagre antes do clássico contra o Santos, mas tropeçou de novo...

– Libertadores depende da pontuação de cada rodada. Nós temos que nos agarrar na possibilidade desse G4 ou G5 – afirmou o comandante, confiando no grupo.

Tite comenta semana de treino e acredita em evolução

Confira as expectativas do matemático Tristão Garcia, da Academia LANCE!:

"Na projeção atual, é preciso 66 pontos para garantir a vaga com o terceiro lugar – e 64 para o G4. O Corinthians só consegue atingir 62 pontos, e a pontuação mínima para o quinto lugar é 60. O time tem de chegar primeiro aos 47 pontos, para escapar do rebaixamento. Para terminar em quinto, a chance é desprezível, abaixo de 0,5%. Na virada do turno, a projeção do Corinthians de ir para a Libertadores era apenas 1%. Aí o Tite fala que matemática não entra, depois perde e se dá conta que era aquilo mesmo. O grande inimigo do sonho do Corinthians é o São Paulo, a pedra no caminho. O Corinthians precisa ganhar seus jogos e torcer. Se perder do Vitória no domingo, a chance já vira traço".

Melhor reta final teve ‘apenas’ 76% dos pontos:

O Corinthians precisa somar pelo menos 90% dos pontos que disputará a partir de amanhã, segundo projeções matemáticas. Nos últimos anos, a equipe teve bom aproveitamento em retas finais, mas nada que a aproxime do sonho.

A temporada de 2009, primeira após o retorno da Série B, foi a única que deixou a desejar, pois o time já estava classificado para a Libertadores por ter ganhado a Copa do Brasil. Nos sete jogos decisivos, foram três vitórias, um empate e três derrotas.

A partir de 2010, no entanto, a situação mudou e o aproveitamento de pontos passou a ser alto. Já com Tite, o Timão somou 71,4% dos pontos (quatro vitórias e três empates), e terminou em terceiro lugar naquele ano, brigando até o fim pelo título.

Em 2011, ano do pentacampeonato, a reta final foi recheada por cinco vitórias, um empate e uma derrota, rendimento de 76%. Ano passado, o aproveitamento foi exatamente o mesmo, representando arrancada da nona para a sexta posição.

As possibilidades:

G4 - Acontece caso o campeão da Copa do Brasil, que sairá entre Grêmio, Atlético-PR, Flamengo e Goiás, não esteja entre os quatro primeiros do Brasileirão. O quarto colocado do torneio deve terminar com 64 pontos, número que o Corinthians nem tem como alcançar nesta reta final.

G5 - O sonho do Timão vira realidade se Grêmio, Atlético-PR ou Goiás vencerem a Copa do Brasil neste ano e ainda terminarem entre os quatro primeiros do Brasileirão. Pontuação mínima exigida, segundo matemático, é de 60 pontos para poder chegar lá.

G3 - O panorama mais negativo também é possível. Ele acontece se o campeão da Copa do Brasil não terminar o Brasileirão entre os quatro primeiros e um brasileiro ganhar a Sul-Americana. São Paulo e Ponte ainda estão vivos.