icons.title signature.placeholder Mário Boechat
24/02/2015
17:19

Uma recomendação de um grupo de trabalho da Fifa pode gerar uma drástica mudança no futebol europeu. A proposta é realizar a Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Qatar, entre novembro e dezembro, sendo que a final seria dois dias antes do Natal. A intenção da entidade máxima do futebol é escapar das altas temperaturas que massacram os países do Oriente Médio durante os meses de junho e julho, verão no hemisfério norte, e proteger a saúde dos atletas e torcedores.

No entanto, essa medida vai de encontro ao calendário adotado na Europa. Durante os meses de novembro e dezembro, os maiores campeonatos do continente estão a pleno vapor, com jogos no fim e no meio das semanas. Caso a recomendação da Fifa seja acatada, os principais ligas teriam que se adequar e, consequentemente, arranjar novas datas para os jogos do período.

E MAIS
- Fifa recomenda Copa do Mundo de 2022 entre novembro e dezembro
- Candidato à presidência da Fifa, Figo apoia Copa de 2022 em novembro
- Em comunicado, Uefa apoia Copa de 2022 em novembro

A briga entre as ligas e a Fifa parece estar somente engatinhando, mas a entidade ganhou uma grande aliada. A Uefa apoia que a Copa do Mundo de 2022 seja realizada no inverno.

- Em benefício dos jogadores e dos torcedores, a Uefa crê que a competição deverá ser disputada no inverno e esperamos a decisão final do Comitê Executivo da Fifa nos dias 19 e 20 de março - disse a Uefa, em comunicado.

Outro que já declarou estar de acordo com a proposta da Fifa é Luis Figo, candidato à presidência da entidade. Além de destacar um melhor clima para torcedores e jogadores, ele lembrou da grande atmosfera que é um Mundial. O português disse ainda que, com boa vontade, é possível mudar o cronograma.

- Com boa vontade e sentido de solidariedade é sempre possível encontrar as soluções corretas.


Figo apoiou a decisão da Fifa em realizar a Copa de 2022 no fim do ano (Foto: Ben Stansall/ AFP)

O Mundial de Clubes, que é realizado no mês de dezembro, seria o primeiro campeonato a ser afetado pelo 'novo calendário'. Mas alguns representantes do torneio são conhecidos poucos meses antes de dezembro, e uma engenharia estratégica deve ser pensada.

A Premier League, por exemplo, é o campeonato com menos datas disponíveis na Europa. Provavelmente, seria a mais prejudicada caso a proposta da Fifa seja aceita. E os diretores já manifestaram seu repúdio.

- É decepcionante. É uma decisão incorreta. Fomos abandonados pela Uefa - disse o chefe da Premier League, Richard Scudamore, à "BBC".


Clubes ingleses devem sofrer se a Copa for no fim do ano (Foto: Oli Scarff/ AFP)

Em Portugal, a reação é ainda mais fervorosa e contrária à Fifa. Rogério Azevedo, repórter do jornal "A Bola", criticou a escolha do Qatar como sede da Copa do Mundo de 22 e a demora para a entidade de verificar os problemas

- Em primeiro lugar, os portugueses estranham a atribuição do Mundial de 2022 ao Qatar. Qual o peso do Qatar no futebol mundial? Zero. Alguém consegue dizer o nome de um mediano jogador do Qatar? Não. O país tem condições climáticas para ser sede de um Mundial de futebol? Não. Agora, quatro anos depois de ter atribuído o Mundial ao Qatar, vem a Fifa propor que a fase final se dispute entre novembro e dezembro - disparou Azevedo, que completou:

- Para Portugal, seria muito ruim. Entre 20 de novembro e 20 de dezembro de 2014, por exemplo, Benfica, Sporting e Porto, os principais clubes do país, realizaram oito jogos cada um. Onde eles seriam encaixados em 2022/2023. Embora não haja ainda nenhuma reação oficial, a proposta não deverá ser bem recebida. Pior ainda será, por certo, na Inglaterra, onde os clubes jogarão, neste período, talvez o dobro dos jogos.

Na Espanha, a reação também foi desfavorável e a briga parece ser grande. De acordo com o jornalista do "Sport", de Barcelona, German Bona, a proposta caiu como uma bomba.

- Aqui não gostamos dessa nova proposta da Fifa de colocar a Copa para novembro e dezembro, porque, sobretudo, há competição e não temos pausa nos nossos campeonatos, como há na Alemanha. Aqui não se para. A Liga Espanhola termina sempre no início de junho, mas quando há Eurocopa e Copa do Mundo, paramos em maio, para dar tempo das seleções se prepararem. Com o Mundial em novembro e dezembro, perderemos dois meses: um de preparação das equipes e um para a disputa do torneio. E não teremos como repor isso - criticou o jornalista.


Na Espanha, as críticas à proposta da Fifa são grandes (Foto: Javier Soriano/AFP)

Na Bundesliga, que para no mês de janeiro devido ao rigoroso inverno na Alemanha, a oposição também já foi firmada.

- Não basta apenas definir a data. A Fifa deve mostrar agora de maneira concreta qual pode ser a solução - comentou Andreas Rettig, secretário geral da Bundesliga, em um comunicado emitido após saber das intenções da entidade máxima do futebol.