icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/07/2014
11:59

Como diria o poeta, o tempo não para. E a idade chegou para alguns importantes jogadores do futebol mundial, que estão de partida de suas seleções em Copas do Mundo. A Rússia, em 2018, será um caminho longo demais para a idade deles. Teve gente deixando saudades pelas histórias escrita nos Mundiais. E o Brasil fez parte delas.


1 - KLOSE

 
Klose, em sua comemoração característica: o salto mortal (Javier Soriano/AFP)
Miroslav Klose nunca foi craque, mas sempre esbanjou eficiência na área. De cabeça, com os pês ou canela. Quatro Copas do Mundo (2002, 2006, 2010 e 2014), em todas elas chegou ao menos às semifinals. Quatro Mundiais foram o suficiente para marcar 16 gols e virar o maior artilheiro da história da competição, deixando Ronaldo Fenômero para trás. Aos 36 anos, vai dar passagem a outros craques que devem surgir na Alemanha para Rússia-2018.


2 - XAVI

 
Xavi esteve em campo contra a Holanda e a Fúria foi humilhada (Foto: Damien Meyer/AFP)
 A vergonha que a Espanha passou em 2014 mostrou o qual importante foi Xavi nos tempos em que esteve no auge da forma. Sem a mesma capacidade física de 2010, por exemplo, quanto a turma do tiki-taka ganhou o topo do mundo, o volante encerrou o ciclo vitorioso pela seleção em Copas do Mundo. A saída foi pela porta dos fundos, mas não vai apagar os feitos desse craque de bola, que não precisou de dribles espalhafatosos, cabelo estravagante ou golaços para ser reconhecido. Com 34 anos, chegou a hora do adeus de Xavi às Copas.


3 - BUFFON

 
Buffon esteve em campo em duas partidas da Copa-2014 (Giuseppe Cacace/AFP)
Aos 36 anos, o italiano Buffon alcançou o feito histórico de disputar a quinta Copa do Mundo da carreira, igualando o goleiro mexicano Antonio Carbajal e o alemão Lothar Matthäus. Pena para ele e a Azzurra que, pelo segundo Mundial seguido, não houve nada além da primeira fase. Campeão em 2006, o atual capitão da Azzurra não está mais no auge, mas ainda mostrou que dá caldo e porque é um dos maiores da história, por exemplo, em uma defesaça feita após chute de Luís Suárez, no jogo da mordida e da eliminação italiana.


4 - PIRLO

 
Pirlo jogou muito contra a Inglaterra, mas Copa acabou mais cedo (Foto: Ben Stansall/AFP)
 Dotado de uma inteligência ímpar e uma precisão impressionante nas bolas paradas (aprediz de Juninho Pernambucano), Pirlo, que se sente brasileiro nas cobranças de falta, não fará mais golaços ou dará passes para gols nas próximas Copas do Mundo. Com 35 anos, não dá mais. A carreira está chegando ao fim. Campeão do mundo em 2006, Pirlo está terminando seu ciclo pela Azzurra. E pior, sem ter um herdeiro à altura.


5 - JULIO CESAR

 
Julio tomou um caminhão de gols nesta Copa (Foto: Pedro Ugarte/AFP)
A despedida de Julio Cesar não foi da forma esperada. Tudo o que ele queria era uma chance de se redimir da falha de 2010, que custou ao Brasil a vitória sobre a Holanda nas quartas de final. Mas o goleiro da Seleção foi castigado por fazer parte de uma equipe desorganizada e bateu o recorde: foi o brasileiro mais vazado da história das Copas. Mas ele lutou para evitar o vexame. Sem Julio, o Brasil teria caído nas oitavas.