icons.title signature.placeholder Leo Burlá e Michel Castellar
21/07/2014
20:55

Com 20 anos de serviços prestados à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o ex-supervisor e coordenador de Seleções Américo Faria engrossa o coro daqueles que aprovam o retorno de Dunga ao comando da Seleção Brasileira.

Faria fez parte do grupo que conquistou a Copa de 1994, e naufragou junto ao time que foi derrotado pela Holanda na Copa de 2010. Desta forma, testemunhou o sucesso de Dunga como líder do time tetracampeão e como comandante da derrota na África do Sul.

Américo é cauteloso e prefere não citar nomes de outros técnicos que poderiam assumir a vaga deixada por Luiz Felipe Scolari, mas dá pistas de que a vivência com a Seleção Brasileira é um ingrediente importante para o sucesso da receita.

LEIA MAIS:
> Ex-poderoso da CBF vê Dunga como escolha para neutralizar Romário
> Fifa anuncia data sobre decisão de Rússia e Qatar

- A vivência conta muito. Se a escolha for realmente o Dunga, estamos em um bom caminho. Em termos de valores individuais, o Brasil não atravessa um grande momento, mas a direção atual da CBF atendeu anseios antigos de todos, como a reforma da Granja Comary, a construção da nova sede e do Museu do Futebol - defendeu.

Faria crê que a formação de uma seleção sub-21 seria importante para o projeto que visa o ouro olímpico em 2016 e o hexacampeonato em 2018. Segundo ele, Gilmar Rinaldi, novo coordenador de Seleções, e Alexandre Gallo, coordenador das Seleções de Base, têm as ferramentas para liderar o processo.

Sobre um eventual retorno à antiga casa, Faria jura que não há nenhuma negociação em curso:

- Primeiro teria de haver um convite, coisa que ainda não há.