icons.title signature.placeholder Michel Castellar
11/11/2014
07:00

Até que a briga judicial sobre a construção do novo Autódromo Internacional do Rio, em Deodoro, que fica em área militar, seja resolvida, o governo federal cancelou todos os projetos relativos à instalação. O Ministério do Esporte, responsável por elaborar o projeto executivo e erguer a pista, já abandonou os estudos técnicos.

Além do projeto executivo, o dinheiro necessário para a construção da nova pista de Deodoro também parou de ser liberado pelo governo federal. E, no momento, a ordem é a de que tudo fica parado até que a liminar conseguida pelo Ministério Público-RJ seja cassada.

– O Ministério do Esporte informa que o projeto de construção do novo autódromo do Rio está suspenso temporariamente por causa de decisão judicial. Quando houver definição da Justiça a respeito, a proposta será retomada – informou, em nota, o Ministério do Esporte.

A briga começou quando o Ministério Público-RJ entrou com uma ação civil no Tribunal de Justiça do Rio por acreditar que o local escolhido é área de proteção ambiental e obteve uma liminar em janeiro de 2013. O documento suspendeu o licenciamento e determinou a paralisação das obras até que fosse elaborado e aprovado o Estudo Prévio de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Apesar de alegar ser desnecessário o EIA/RIMA, o Ministério do Esporte iniciou os estudos para obter o documento. Mas em agosto de 2013, o órgão sofreu outra derrota ao ver seu pedido de cassação da liminar negado pela Justiça e paralisou as ações.

Em julho deste ano, o governo conseguiu tirar o caso da esfera estadual e o processo foi remetido para a Justiça Federal. A crença era a de ter maiores chances de vitória, assim como celeridade no processo, mas não obteve êxito.

Erguer o novo Autódromo Internacional do Rio em Deodoro foi uma condição para que o antigo, o Nelson Piquet, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, fosse destruído para a construção do Parque Olímpico dos Jogos Rio-2016. A promessa inicial foi a de que o projeto da instalação seria licitado em 2011 e a pista iniciaria seus testes em 2012.

___________________________

Com a palavra

'O novo autódromo corre risco'

Felipe Zeraik
Diretor Jurídico da CBA

A CBA também entrou com uma petição na Justiça Federal para cassar a liminar, mas estamos em compasso de espera. Até porque, a Justiça Federal não prima pela celeridade.

Mas, a verdade, é que o novo autódromo corre risco de não sair do papel. Principalmente, porque o prefeito do Rio (Eduardo Paes) não demonstra mais nenhum interesse em construí-lo.

Assim que conseguiu iniciar a destruição do Autódromo Internacional Nelson Piquet para erguer o Parque Olímpico, o Paes se afastou de todo o processo.

O prefeito poderia, por exemplo, apontar uma outra solução, como a mudança do local, apresentar um outro terreno.

A comunidade automobilística está revoltada porque ficou só na promessa. Se não tomar cuidado, viro alvo de pneus. Só que, infelizmente, resolver essa questão não depende de nós.

____________________________

Promessa é de autódromo sustentável

Para evitar que o novo Autódromo Internacional do Rio, em Deodoro, se transformesse em um elefante branco, o governo federal realizou um estudo de sustentabilidade econômica. A intenção foi a de determinar o uso viável do local sem gastos para o poder público.

A meta inicial foi a de fazer com que, em paralelo às corridas, o autódromo se transformasse em um pólo educacional e de negócios.

Por isso, a intenção era a de capacitar a população do entorno para os dois mil empregos que seriam gerados pelo novo autódromo.

_____________________________

O NOVO AUTÓDROMO

Por que?
A construção de um novo autódromo foi uma promessa para que o Nelson Piquet, em Jacarepaguá, pudesse ser destruído para a construção do Parque Olímpico Rio-2016

......................

Deodoro
Por ser uma área militar, o governo federal assumiu a construção da instalação, após um acordo com a prefeitura

......................

MP entra na Justiça
Por considerar que a área escolhida é de proteção ambiental, o Ministério Público-RJ entra na Justiça e pede a suspensão das obras

......................

Paralisação
Em janeiro de 2013, o Tribunal de Justiça do Rio concede a liminar para a paralisação das obras até que um estudo de impacto ambiental seja feito

......................

Desistência
O Ministério do Esporte se prontificou a fazer o estudo. Por causa das dificuldades em elaborá-lo, além de seu custo, desistiu até que os recursos judiciais terminem. E suspende todos os projetos do autódromo

......................

Prazos
A previsão era a de que a instalação estaria pronta em 2012. Agora, não há mais um prazo