icons.title signature.placeholder Bruno Rodrigues
icons.title signature.placeholder Bruno Rodrigues
31/07/2013
08:30

"Ganso é maravilhoso, um dos mais brilhantes". A frase é de Pep Guardiola, técnico do Barcelona em 2011, um dia antes da decisão do Mundial Interclubes entre a equipe catalã e o Santos. Em alta após a conquista da Libertadores daquele ano, o à época camisa 10 do Peixe encantava até o melhor treinador do mundo. Quadro bem diferente do atual, em que o meia é reserva do São Paulo e, inclusive, está esquecido pelo comandante do Bayern de Munique.

Na entrevista coletiva que reuniu os quatro treinadores das equipes que participarão da Copa Audi, Guardiola falou sobre a qualidade do futebol brasileiro e, como também havia feito no Japão há dois anos, não cansou de elogiar o Tricolor campeão do mundo sobre o Barça em 92. Ao mencionar o elenco atual do clube do Morumbi, o espanhol citou alguns jogadores do grupo, mas não Ganso.

- O futebol brasileiro sempre nos dá garantia de bons jogadores, surge um atrás do outro. O Autuori tem uma alta experiência tanto nacional quanto internacional. Conta com grandes como Luis Fabiano (não viajou por lesão), Jadson e Lúcio, que não veio, mas tem outros grandes jogadores. A Copa Audi sempre é uma grande competição e será um grande jogo - disse Pep.

Autuori colocou Ganso no banco para o clássico contra o Corinthians. No lugar do camisa 8, promoveu a entrada de Fabrício e escalou o São Paulo com três volantes no empate sem gols com o rival - que encerrou uma sequência de oito derrotas consecutivas. A tendência é que Ganso, autor de dois gols com a camisa do Tricolor apenas, seja novamente opção de banco contra o Bayern de Munique (ALE), nesta quarta-feira, na Allianz Arena.

Se não entrar em campo, é capaz de Guardiola nunca mais lembrar daquele que um dia fez os olhos dele brilharem. O bom futebol de Ganso já caiu no esquecimento.


"Ganso é maravilhoso, um dos mais brilhantes". A frase é de Pep Guardiola, técnico do Barcelona em 2011, um dia antes da decisão do Mundial Interclubes entre a equipe catalã e o Santos. Em alta após a conquista da Libertadores daquele ano, o à época camisa 10 do Peixe encantava até o melhor treinador do mundo. Quadro bem diferente do atual, em que o meia é reserva do São Paulo e, inclusive, está esquecido pelo comandante do Bayern de Munique.

Na entrevista coletiva que reuniu os quatro treinadores das equipes que participarão da Copa Audi, Guardiola falou sobre a qualidade do futebol brasileiro e, como também havia feito no Japão há dois anos, não cansou de elogiar o Tricolor campeão do mundo sobre o Barça em 92. Ao mencionar o elenco atual do clube do Morumbi, o espanhol citou alguns jogadores do grupo, mas não Ganso.

- O futebol brasileiro sempre nos dá garantia de bons jogadores, surge um atrás do outro. O Autuori tem uma alta experiência tanto nacional quanto internacional. Conta com grandes como Luis Fabiano (não viajou por lesão), Jadson e Lúcio, que não veio, mas tem outros grandes jogadores. A Copa Audi sempre é uma grande competição e será um grande jogo - disse Pep.

Autuori colocou Ganso no banco para o clássico contra o Corinthians. No lugar do camisa 8, promoveu a entrada de Fabrício e escalou o São Paulo com três volantes no empate sem gols com o rival - que encerrou uma sequência de oito derrotas consecutivas. A tendência é que Ganso, autor de dois gols com a camisa do Tricolor apenas, seja novamente opção de banco contra o Bayern de Munique (ALE), nesta quarta-feira, na Allianz Arena.

Se não entrar em campo, é capaz de Guardiola nunca mais lembrar daquele que um dia fez os olhos dele brilharem. O bom futebol de Ganso já caiu no esquecimento.