icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma
17/12/2013
08:55

Sem jogos neste momento, o Morumbi será palco de uma importante decisão na noite desta terça-feira. O conselho deliberativo do São Paulo se reunirá no salão nobre para votar a aprovação do contrato para a cobertura do estádio são-paulino.

Para que o projeto avance, é necessário que a maioria simples dos conselheiros presentes vote favorável. A tendência é que isso aconteça, já que a maior parte dos membros do conselho está ao lado do presidente Juvenal Juvêncio.

A oposição tem dúvidas sobre alguns pontos do contrato. Recentemente, Juvenal recebeu alguns oposicionistas para explicar detalhes dos contratos da obra. Durante o encontro, representantes de todas as partes envolvidas estarão no clube para responderem a qualquer questão do acordo. Os líderes do projeto estão convictos de que podem esclarecer qualquer questão porque estudam o assunto há mais de dois anos.

Desde o último dia 9 de dezembro, detalhes do projeto estão disponíveis para os conselheiros.

A exploração da arena multiuso - com capacidade para 28 mil pessoas, que será construída atrás do gol de entrada do Morumbi - será explorada por dez anos. Após esse período, haverá uma revisão do contrato e o prazo deve ser prorrogado por outros dez anos.

A estimativa é que a obra toda custe R$ 408 milhões. O São Paulo diz que não gastará um centavo e todo o dinheiro será pago pelos parceiros. De acordo com o clube, a obra só terá início quando toda a verba for capitalizada para a obra.

Os parceiros são a Andrade Gutierrez (construtora), Lacan (fundo de investimentos), MultiPark (estacionamento) e XYZ (operadora).