icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/12/2013
13:33

O Cruzeiro não deixou barato os últimos acontecimentos envolvendo os confrontos entre duas de suas torcidas organizadas. Após o diretor Alexandre Mattos fazer duras críticas aos vândalos que protagonizaram brigas principalmente nos arredores do Mineirão, o campeão brasileiro parece ter chegado ao limite com as facções e proibiu que os torcedores organizados utilizem a marca do clube em seus uniformes.

- A partir de agora, as torcidas organizadas não podem usar qualquer uniforme em alusão às torcidas, mas podem usar a marca Cruzeiro, como estava sendo usado - disse o presidente do Conselhor Deliberativo do Cruzeiro, Wilmer Santa Luzia Mendes, em entrevista à Rádio Itatiaia. Sendo assim, qualquer torcedor que estiver vestindo a camisa de uma organizada com a marca do Cruzeiro será impedido de entrar no Mineirão.

- É uma decisão que foi tomada porque as coisas estão tomando um rumo tão diferentes, com as constantes brigas das torcidas Máfia Azul e da Pavilhão Independente, que nossa decisão foi esta e esperamos  que, a partir de hoje, as coisas mudem na torcida do Cruzeiro - acrescentou.

MAIS:
> Marlone fala sobre Libertadores no novo clube: 'sou mais um louco'
> Diretoria celeste entra de férias e contratações cessam no fim do ano

Wilmer informou que a decisão foi tomada após uma reunião na última quinta-feira. O presidente Gilvan de Pinho Tavares também será informado, assim como todas as torcidas organizadas do Cruzeiro.

- Fizemos uma reunião ontem (quinta-feira) e o próprio conselho fez uma menção autorizando o presidente que tomasse providência com relação ao uso da marca Cruzeiro nos uniformes das torcidas organizadas. Foi feito um abaixo-assinado, entregamos, colocamos em votação e foi aprovado por unanimidade. A partir de agora, a marca Cruzeiro está proibida de ser usada pelas organizadas - concluiu Wilmer.