icons.title signature.placeholder David Nascimento
22/03/2014
07:02

O Conselho de Administração do Flamengo criou uma Comissão de Inquérito para apurar a denúncia feita pelo vice-presidente de marketing rubro-negro, Luiz Eduardo Baptista (Bap), contra o conselheiro Leonardo Ribeiro (Capitão Léo), por conta de uma declaração polêmica no dia da eleição na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Na ocasião, Capitão Léo declarou que Bap está sujeitando o Flamengo aos interesses da Sky, empresa que ele preside. O presidente da Comissão de Inquérito, Gilberto Cardoso Filho, já convocou, inclusive, Leonardo Ribeiro para prestar depoimento na segunda-feira, às 20h, na sede da Gávea.

Leonardo Ribeiro será investigado pela Comissão de Inquérito por conta de possível violação aos artigos 49 e 50 do atual estatuto do Flamengo e pode, se for levado para julgamento e considerado culpado, ser até eliminado do quadro de sócios do Rubro-Negro. O artigo 49 prevê punição para quem "veicular expressões desonrosas, por qualquer meio de comunicação, contra o Flamengo, ou os membros de seus Poderes, em campanha eleitoral, ou em razão de suas funções". Já o artigo 50 pune quem "praticar ato de grave indisciplina social ou desportiva. Incorre na mesma penalidade quem usar ou envolver o nome do Flamengo em campanha de qualquer natureza, estranha aos objetivos do clube."

O LANCE!Net teve acesso ao documento da denúncia. Em sete páginas, o texto, assinado pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, aponta que o Capitão Léo realizou um discurso inflamado após a reeleição de Rubens Lopes na presidência da Ferj, acusando de "forma grave e diante de quase uma dezena de jornalistas esportivos o vice-presidente de marketing de ter ordenado a criação do manifesto público e conjunto publicado na véspra da eleição". No mesmo parágrafo, Bandeira ressalta que o manifesto foi legítimo "contra a situação precária em que se encontra o falido Campeonato Estadual".

Eduardo Bandeira de Mello ainda defende Bap ao longo do documento de denúncia, afirmando que as afirmações do Capitão Léo são "totalmente inverídicas e maculam o nome de um membro do Conselho Diretor, cuja credibilidade é item essencial para a busca das melhores parcerias e contratos para o clube". O presidente do Flamengo ainda dá o LANCE!Net como prova anexada na denúncia contra o conselheiro, mostrando na íntegra a reportagem "Capitão Léo diz que Fla se voltou contra Ferj por influência da Sky".

Por conta deste conflito político, Leonardo Ribeiro irá pedir uma acareação com Luiz Eduardo Baptista no Conselho de Administração do Flamengo. Novas provas devem ser solicitadas pela defesa e acusação. Testemunhas também podem vir a serem apresentadas. De acordo com o estatuto do Flamengo, um parecer deve ser feito pela Comissão de Inquérito em até dois meses, levando o caso ao plenário que decidirá, por maioria dos votos, qual rumo deve ser tomado no caso. Vale lembrar que é a segunda vez que Leonardo Ribeiro é investigado por uma Comissão de Inquérito na gestão de Eduardo Bandeira de Mello. Na primeira, no caso das contas de 2011 da ex-presidente Patricia Amorim, o conselheiro foi inocentado.

> Confira abaixo trechos da denúncia e inquérito no Conselho de Administração: