icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro / Radar
10/02/2015
18:01

O Ministério Público do Estado de São Paulo vai instaurar uma ação por 'danos coletivos' contra Palmeiras, Corinthians e a Federação Paulista de Futebol (FPF) por conta da confusão ocorrida no último domingo, no Allianz Parque, antes do Dérbi, envolvendo os torcedores palmeirenses e a Polícia Militar.

De acordo com o promotor Roberto Senise, o MP irá analisar todas as evidências. Desde os boletins de ocorrência registrados no dia da partida até as imagens de televisão.

- Vamos instaurar o inquérito cívil ainda nesta semana. Vamos analisar as imagens da TV, apurar tudo o que aconteceu. Eles (os clubes e a FPF) desobedeceram uma recomendação nossa. Por isso, podem ter que ressarcir o Estado - explicou Senise ao LANCE!Net.

A principal argumentação é de que as partes foram avisadas de que o clima era tenso e poderia existir confronto entre as torcidas. Dias antes do jogo, o Ministério Público indicou a realização da partida com torcida única. A Federação chegou a acatar, mas mudou de ideia após o Corinthians entrar na Justiça e ameaçar não ir a campo.

O promotor constestou ainda a versão de que teria sido um confronto de apenas uma torcida. Segundo ele, tudo começou por que os alviverdes tentaram invadir o espaço destinado aos torcedores corintianos.

Com relação a ação do Ministério Público, a Federação Paulista de Futebol se mostrou tranquila.

- Avaliamos a ação como uma situação normal. Vamos aguardar a notificação. Se tiver que ir à Justiça para debater o caso, vamos. Inclusive, temos a liminar que o Corinthians nos apresentou - disse Marcos Marinho, diretor da FPF, à Folha de S. Paulo.

A ação deve ser julgada até o mês de abril, quando será definido o valor que os clubes e a Federação terão de desembolsar caso o Ministério Público ganhe a causa.