icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/02/2015
08:00

Diego Cavalieri não teve um início fácil no futebol. Surgiu no Palmeiras e tinha nada mais, nada menos, que o ídolo da torcida e pentacampeão do mundo Marcos como concorrente na posição. Com as seguidas lesões do experiente goleiro, começou a ter chances e aparecer no mundo da bola. Rapidamente, ganhou espaço e confiança. Desde 2011, ele é a segurança e a tranquilidade da torcida tricolor, embaixo das traves. Mesmo avesso aos holofotes, mostra personalidade forte.

A passagem apagada e sem sucesso pela Europa – jogou no Liverpool (ING) e Cesena (ITA) – não fizeram com que o Fluminense tivesse receio de contratá-lo. Com o tempo, ganhou a vaga de Ricardo Berna, campeão brasileiro em 2010, e não decepcionou os torcedores.

O estilo de Cavalieri é bem tranquilo. Morador da Barra da Tijuca, o camisa 12 sai pouco de casa. Nas folgas, quando não aproveita a piscina do condomínio onde mora, gosta de pegar o filho e ir para restaurantes no próprio bairro. Shoppings não são a preferência dele. Os locais favoritos são as churrascarias, já que o prato que mais gosta é carne.

Chamado de "Iceman" (homem de gelo, em português) pelos torcedores, por conta frieza dentro de campo, o goleiro sempre escolhe ficar mais distante nos momentos que antecedem as partida. Com fone de ouvido, o Rap é o estilo musical preferido dele. Na lista de músicas, tocam Emicida, Dexter e Racionais.

Mesmo sem gostar da badalação, Diego é considerado um dos pilares do atual Fluminense. De contrato renovado, a torcida pode se sentir segura até 2018.