icons.title signature.placeholder Marcello Vieira e Sérgio Arêas
21/12/2013
07:03

Manhã de segunda-feira, Galeão. A torcida do Fluminense promete realizar uma grande invasão ao aeroporto para recepcionar o ídolo Darío Conca, que passou os últimos dois anos e meio no Guanghzou Evergrande, da China, e desembarcará no Rio de Janeiro para finalmente voltar ao Flu.

Uma notícia positiva para os tricolores e que o staff do presidente Peter Siemsen considera importante para desviar o foco das polêmicas do STJD, no caso da Portuguesa, para um tom de festividade. Espécie de descontração até o aguardado julgamento do dia 27, que pode assegurar a permanência do Flu na Primeira Divisão.

O marketing tricolor está acertando os últimos detalhes para as ações que serão promovidas para celebrar o retorno do apoiador, mas tem esbarrado em algumas dificuldades. A Infraero quer vetar a festa no aeroporto por considerar a última experiência parecida, a chegada de Seedorf ao Rio para assinar com o Botafogo, uma verdadeira catástrofe. Além disso, o Galeão está em obras e a chegada de Conca pode causar um grande tumulto. Por isso, o jogador seguirá da posta para casa.

O fato é que independentemente da festa ser ou não oficial, a torcida se fará presente. Em entrevista ao site da Fifa, Conca fez uma declaração de amor ao Tricolor.

– Não faltará vontade, porque o clube apostou em mim e respeito muito isso. Tenho um amor enorme pelo Fluminense e quero dar o melhor de mim – disse.

Para aqueles que têm dúvidas sobre o nível atual do futebol de Conca, o treinador do Guanghzou, Marcelo Lippi, deu seu veredicto:

– Treinei jogadores como Del Piero, Zidane e Totti e, para mim, Conca é tão brilhante quanto eles.