icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
20/08/2015
11:42

A investigação quanto às transações financeiras do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, continuará a acontecer. Uma comissão do Senado confirmou, na manhã desta quinta-feira, a aprovação da quebra do sigilo bancário do dirigente da entidade e do empresário Wagner Abrahão, dono do Grupo Águia.

Com o requerimento, solicitado pelo senador Romário (PSB/RJ), a CPI do Futebol pretende ter acesso às informações bancárias e fiscais de Del Nero a partir de 12 de março de 2013. Já as contas de Abrahão devem ser analisadas entre 17 de maio de 2007 e 31 de maio de 2015. 

Tanto o dirigente quanto o empresário ainda podem recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar as quebra de seus respectivos sigilos bancários.

Amigo pessoal do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Wagner Abrahão teria sido o responsável por levar o ex-cartola para fora do Brasil, após ele se licenciar da entidade. O nome do empresário aparece entre os beneficiários do contrato de patrocínio entre TAM e CBF, segundo a "Folha de São Paulo".

O empresário ainda teria feito acordo com Del Nero na compra de um imóvel na Barra da Tijuca, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

A investigação quanto às transações financeiras do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, continuará a acontecer. Uma comissão do Senado confirmou, na manhã desta quinta-feira, a aprovação da quebra do sigilo bancário do dirigente da entidade e do empresário Wagner Abrahão, dono do Grupo Águia.

Com o requerimento, solicitado pelo senador Romário (PSB/RJ), a CPI do Futebol pretende ter acesso às informações bancárias e fiscais de Del Nero a partir de 12 de março de 2013. Já as contas de Abrahão devem ser analisadas entre 17 de maio de 2007 e 31 de maio de 2015. 

Tanto o dirigente quanto o empresário ainda podem recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar as quebra de seus respectivos sigilos bancários.

Amigo pessoal do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Wagner Abrahão teria sido o responsável por levar o ex-cartola para fora do Brasil, após ele se licenciar da entidade. O nome do empresário aparece entre os beneficiários do contrato de patrocínio entre TAM e CBF, segundo a "Folha de São Paulo".

O empresário ainda teria feito acordo com Del Nero na compra de um imóvel na Barra da Tijuca, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro.