icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
26/06/2014
09:37

A classificação do México para as oitavas de final da Copa do Mundo não foi festejada apenas pelos jogadores e os torcedores do país. Os comerciantes de Fortaleza (CE) também comemoram o retorno da Tri (de Tricolor) à cidade, onde o técnico Miguel Herrera já comandou a equipe na primeira fase, no empate em 0 a 0 com o Brasil, no último dia 17, e enfrentará a Holanda no domingo, no Castelão.

- Esse jogo vai ser muito bom, porque os mexicanos já deram um movimento muito no comércio de Fortaleza no primeiro jogo, sem causar problema algum. Naqueles dias que eles estiveram aqui meu faturamento aumentou 80%. O melhor ainda é que eles são bons de gorjeta, dão até dez reais, ao contrário dos italianos, que pechincham tudo - conta o taxista Lázaro Barros, de 47 anos e há 15 rodando na praça.

A capital cearense já recebeu quatro partidas do Mundial. Foram elas: Uruguai 1x3 Costa Rica, Brasil 0x0 México, Alemanha 2x2 Gana e Grécia 2x1 Costa do Marfim. Segundo o Ministério do Esporte, 94,5 mil estrangeiros estiveram no município para estes duelos, sendo 19.282 ingressos comprados pelos Estados Unidos, 14.525 pela Alemanha e 14.078 pelo México. Vale lembrar que a contabilização é feita pelo país de onde o torcedor adquiriu o bilhete, não necesariamente a nacionalidade do cliente. Dessa maneira, mexicanos residentes no território americano, o que é muito comum, são computados nos números dos Estados Unidos.

Para as duas próximas fases, a Secretaria de Turismo do Estado do Ceará estima que mais sete mil "mexicanos" e cinco mil "americanos" desembarcarão na capital, para a alegria do mercado local.

- Os mexicanos gastam mais que todos que passaram por aqui. Comeram muito peixe, camarão e enlouqueceram com a caipirinha. Tive até que adiar o fechamento para 2h30 ao invés das 23h30 de sempre. Espero que eles venham aqui de novo e que não estejam lisos depois de tudo o que já consumiram (risos) - brinca Flamarion Albuquerque, gerente de um restaurante ao lado ao hotel onde a delegação do México se hospdeu e aonde voltará agora, muito provavelmente com animação dos fanáticos pela vizinhança.

Taxista Lázaro Barros elogia as gorjetas dos mexicanos (Foto: Caio Carrieri)

Os famosos ambulantes do calçadão da Avenida Beira-Mar, onde fica a hospedaria e pela qual circulam diversos turistas, também aproveitam para faturar.

- Aumentei as minhas vendas em 40% e cheguei a vender 100 tapiocas em um dia só - comemora Antônio Nobre, de 43 anos, comerciante que cobra R$ 6 a unidade do produto.